08-Set-2016 10:17

Veterinário-Ferrador

Atualmente, como em muitas profissões, o ramo da medicina veterinária vem desenvolvendo uma nova especialização: a do ferrador-veterinário, que funciona como uma ponte entre as duas profissões e já existe na Europa e nos Estados Unidos há mais de 30 anos, sendo uma exigência atual do mercado de equinos no âmbito global.

A consciência da necessidade dessa especialização deu-se a partir da morte do garanhão Secretariat, um Puro Sangue Inglês que morreu em consequência de uma laminite. Neste momento, notou-se que não estávamos devidamente preparados para enfrentar situações semelhantes e, a partir disso, foi incrementado o estudo científico dos cascos e suas interferências na saúde do cavalo.

As atribuições do veterinário-ferrador iniciam-se com o nascimento do potrinho e vão até o final da vida deste animal. Quando um potrinho nasce, o veterinário-ferrador pode interferir caso ele tenha o aprumo extremamente torto, ou mesmo, problemas congênitos. Durante seu crescimento, corrige seus aprumos de forma científica, para que ele tenha bons aprumos quando adulto. E quando chega a vida adulta, o veterinário-ferrador lhe dá suporte para uma vida esportiva longa e produtiva.

Porém, entendemos que o veterinário-ferrador é uma profissão multidisciplinar, porque envolve conhecimentos e habilidades exclusivas de cada uma das profissões. Sendo assim, no caso de ferrageamento, deve conhecer metalurgia, trabalhar na bigorna, casqueamento e ferrageamento. Já na área de veterinária, deve saber sobnre nutrição, biomecânica, radiologia, microbiologia, fisiologia, entre outros temas. Por ser uma profissão complexa, o veterinário-ferrador deve trabalhar amparado por uma equipe de profissionais especialistas envolvidos de cada área, como por exemplo, radiologista, do qual dependerá o sucesso de seu trabalho.

O veterinário-ferrador tem que trabalhar com ferramentas comuns às duas áreas, como bigorna, forja, marretas e demais recursos de um ferrador, mas, também usar as ferramentas do veterinário, tais como: medicamentos, RX, ultrassom, além de algumas ferramentas específicas do veterinário-ferrador, tais como programas de computador para análise de aprumos, câmeras filmadoras e fotográficas, sendo assim bastante complexo o equipamento necessário.

Bem, agora que já conhecemos um pouco da profissão, devemos saber quando é a hora de consultar esse especialista.

1   Sempre que o veterinário clínico ou seu ferrador solicitar.

2   Em criações (Haras), quando há animais com problema de casco ou aprumo. Não só para resolver esses problemas, mas para treinamento de pessoal visando evitar novos problemas.

3   No caso dos cavalos de esporte de alta performance para avaliação periódica, a fim de evitar problemas futuros.

4   Em casos de animais com problemas de cascos, tais como: trincas, laminites, brocas ou claudicações, que possam estar relacionadas com o aprumo: tendinites, desmites, doença do navicular etc.

Enfim, trata-se de uma nova especialização que observa por uma nova ótica, os cascos e suas implicações na saúde do cavalo.

Ricardo Correa de Moraes 

Ricardo Correa de Moraes 

É  médico veterinário e ferrador profissional

Deixe seu Recado