28-Abr-2022 09:10 - Atualizado em 28/04/2022 09:38
Cavaleiros no poder

CBH realiza eleição de representes de atletas sob questionamentos

Presidente Fêfo Sperb garante que fez os esclarecimentos necessários ao COB e espera uma grande participação no pleito desta sexta-feira (29/4)

banners novos nov-2021, 2021, banners,
Banners novos nov-2021

fotos fefo, cbh, 2022, imprensa, Marcelo Mastrobuono/Revista Horse
Fêfo Sperb, presidente da CBH: "desburocratizamos o processo eleitoral"Marcelo Mastrobuono/Revista Horse

A Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) realiza, nesta sexta-feira (29/4), a eleição para representantes de atletas junto à entidade. A eleição será das 10 às 18h, por meio de votação eletrônica. Em ofício, a presidente da Comissão de Atletas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Yane Marques, chegou a questionar os procedimentos legais para a realização do pleito, mas o presidente da CBH, Fernando Sperb (Fêfo), garantiu à reportagem da Revista Horse que está tudo dentro das regras e espera uma grande participação dos cavaleiros.

Na lista final divulgada pela CBH constavam 13 nomes (veja abaixo). Os candidatos representam as modalidades Adestramento, Adestramento Paraequestre, Salto e Concurso Completo de Equitação (CCE). Os sete candidatos que receberem mais votos serão eleitos, observando o cumprimento dos requisitos mínimos estatutários e legais de representação dos atletas. Conforme determina o regulamento da CBH, serão eleitos no mínimo um, e no máximo dois representantes de cada modalidade, sendo pelo menos dois membros de cada gênero.

Questionamentos

A rapidez e os trâmites do processo eleitoral, porém, vêm sendo questionados por atletas. Na segunda-feira (25/4), a presidente da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico do Brasil (CACOB), Yane Marques, encaminhou um ofício à CBH solicitando esclarecimentos sobre o processo eleitoral, alegando que foi procurada por “atletas da modalidade” descontentes pela falta de participação no processo eleitoral. “Segundo o art. 72 do Estatuto, esta eleição deverá ser organizada em conjunto com o órgão de representação dos atletas, ou seja, a comissão de atletas da modalidade deve estar envolvida, o que, segundo nos foi informado, não vem ocorrendo”, escreveu, solicitando explicações.

O cavaleiro de Concurso Completo de Equitação (CCE), Márcio Appel, atual membro da Comissão de atletas da CBH, também questiona os procedimentos e afirma que nem sequer foi informado sobre o processo eleitoral. “Eu que sou atleta, que deveria estar organizando a eleição, nem fiquei sabendo. Não tive a chance de compartilhar com o pessoal do CCE. Assim como eu, a grande maioria do CCE não ficou sabendo. O que eu acho é que têm pessoas que queriam se candidatar e não conseguem mais. Assim como têm pessoas que queriam votar, só que os prazos para se regularizar já esgotaram”, disse ele à reportagem da Horse, destacando que ele próprio não sairia candidato à reeleição. “Só me candidataria se ninguém quisesse. Mas como têm outras pessoas querendo é bom passar para que outros também possam participar”, justificou.

Appel afirma que chegou a pedir para a eleição ser adiada, mas acredita que o pedido não será atendido. Segundo ele, o adiamento não faria mal nenhum e daria mais transparência a todo o processo. “Não vai mudar a vida da CBH em nada para fazer um processo direitinho, redondo, quem quiser participar que participe, de forma transparente”, afirma.

O cavaleiro lembra que é o representante dos atletas junto ao COB e, no ano passado, chegou a participar do Fórum da Comissão de Atletas do COB. “Foi um baita evento no ano passado. Lá ficou muito claro os direitos que os atletas ganharam e os deveres também, como deve funcionar essa Comissão dos Atletas. Como deve funcionar uma eleição para atletas. Hoje em dia, por exemplo se os atletas quiserem saber como está o orçamento da Confederação, eles devem abrir. Não é segredo”, afirma.  “Nessas condições seria melhor nem ter a eleição. A CBH está alegando que pelo estatuto essa eleição teria de ser feita até o dia 30 de abril. É o primeiro quadrimestre do ano depois da eleição para presidente. Mas se você não seguir outros pontos do estatuto, não adianta obedecer ao prazo”, argumenta.

Para Appel, a importância da representação dos atletas ficou evidente na última eleição da diretoria da CBH, quando o voto de um cavaleiro acabou definindo a escolha do atual presidente, Fernando Sperb, o Fêfo, que contou, inclusive, com o apoio e voto de Márcio Appel. “É uma pena! Tomara que consigam reverter, porque é o futuro do esporte. Essa eleição provavelmente vai ajudar a nortear e conduzir o hipismo para os próximos 6/7 anos. Esse grupo que vai entrar vai ajudar a eleger os próximos estatutos, alterações das assembleias e as próximas eleições. Então, é muito importante esse trabalho futuro”, justifica.

O que diz a CBH

O presidente da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), Fernando Sperb (Fêfo), lamenta que esse novo imbróglio tenha ocorrido, quando esperava que todas as polêmicas em torno da eleição da diretoria estivessem superadas. Ele garante, entretanto, que todo o processo está seguindo as regras do estatuto e espera contar com um grande número de cavaleiros eleitores na votação do próximo dia 29 de abril.  “Seguimos o mesmo modelo da última eleição, há quatro anos, e desburocratizamos um pouco, retirando alguns documentos que não eram essenciais, como algumas certidões e foto 3x4, que são desnecessários”, exemplifica.

Fêfo diz que todos os procedimentos e prazos foram publicados no site da CBH e ainda, para divulgar melhor, também foram feitas publicações no Instagram. “Batemos um recorde de inscrições, pois na última eleição foram oito candidatos para sete vagas, e agora foram 15 para sete vagas, com um indeferimento e uma desistência”, diz, lembrando que foi muito parecido com o COB, que teve 2,4 por vaga e o hipismo terá 2,1 atletas por vaga. “Isso é muito interessante, pois mostra que os atletas da comunidade hípica estão passando a se interessar mais e perceber a nossa importância”, elogia.

O presidente da CBH também lamenta que o questionamento tenha partido de um de seus apoiadores, o cavaleiro Márcio Appel, que pediu que a data da inscrição fosse prorrogada, porque ele não tinha visto a publicação no site nem no Instagram. “Fizemos até uma publicação a mais, no Instagram, justamente para as pessoas verem, mas por algum motivo ele não viu. Embora seja um apoiador nosso, amigo, eu não posso fazer diferente do que o estatuto manda, infelizmente. Para apoiador ou não apoiador, todos são iguais. Na nossa gestão, a gente está tratando todo mundo igual, porque nós queremos ser o presidente e vice-presidente de todos, sem exceção”, afirma.

Fêfo diz que respondeu aos pedidos de esclarecimento da Comissão do COB, mostrando que todas as determinações foram cumpridas. “Eu fico triste, porque não queria que ninguém ficasse insatisfeito, e que todo mundo participasse. Nós já estávamos com aquelas brigas da eleição praticamente apaziguadas, mas daí surgiram de novo aquelas pessoas que estavam do lado contrário para tentar aproveitar desse assunto para trazer isso à tona”, comenta. “Eu nem tenho esse poder de reabrir as candidaturas porque um amigo acabou perdendo o prazo. Infelizmente, são os ossos do ofício e a gente acaba tendo essas insatisfações dentro de casa mesmo. Mas faz parte!”, diz.

Quanto à não participação dos atletas no processo eleitoral, Fêfo diz que a Comissão não foi devidamente instruída pela gestão anterior para criar um regulamento, com reuniões periódicas, tanto que não houve nenhuma reunião com os representantes de atletas. “Eles nunca se reuniram para discutir os problemas dos atletas, e isso é uma meta que eu quero para ajudá-los. Quero disponibilizar toda a estrutura da CBH para que eles se organizem, façam regulamento e se disciplinem, pois isso nunca existiu e o próprio regulamento da CBH diz que se não existir essa organização, essa entidade de representantes de atletas, cabe à CBH tocar todo o processo eleitoral”, lembra o presidente. “Mesmo assim, eu criei, conforme o estatuto determina, uma comissão eleitoral formada só por representantes de atletas, que vão acompanhar, fiscalizar e homologar a eleição, inclusive fazendo a apuração de votos. Se eles acharem que tem algum problema, eles paralisam o processo”, diz o presidente da CBH.

 Quem pode votar

               Todos os atletas com registro ativo na CBH até 1º de abril, inclusive os que tenham 16 anos ou mais na data da eleição, podem participar do pleito. A CBH alerta que o eleitor deverá escolher apenas um candidato de cada modalidade. Atletas de modalidade que não possua candidato inscrito e deferido poderão optar por candidato de qualquer outra modalidade.

               A votação será no dia 29, das 10h às 18h, exclusivamente por meio eletrônico. Os eleitos ficarão no cargo até o primeiro quadrimestre de 2025. Confira abaixo a lista completa dos candidatos e respectivas modalidades. Confira o edital completo em: www.cbh.org.br

VEJA O PASSO A PASSO DE COMO VOTAR AQUI

RELAÇÃO DOS CAVALEIROS VOTANTES AQUI

QUEM SÃO OS CANDIDATOS

ADESTRAMENTO
Sarah Waddell
Vinicius Miranda da Costa

CONCURSO COMPLETO DE EQUITAÇÃO - CCE

Marcelo Tosi
Ricki Candi

ENDURO

Fernando Gonçalves Costa
João Leonel Antocheski

ADESTRAMENTO PARAEQUESTRE

Flamarion Pereira da Silva
Rodolfo Luis Bertassoli Lucas
Sergio Froes Ribeiro de Oliva

SALTO

Bianca Matarazzo Affonso Ferreira
Ivo Roza da Silva Filho
Nina Franziska Babbe
Thiago Rhavy de Sá e Silva

Revista Horse
Deixe seu Recado