02-Ago-2021 20:16 - Atualizado em 03/08/2021 02:05
Horse Tokyo 2020

CCE com muitas emoções

Time Brasil termina em 12º lugar. Grã-Bretanha fica com o Ouro, seguida de Austrália e França. Marcio Appel faz despedida emocionante a Iberon Jmen

undefined,
d

Marcio Appel,  na saída da prova de Salto,  reverência ao BH Iberon Jmen,  de 18 anos,  que se despede das pistas, Marcio Appel,  Iberon Jmen, Marcelo Mastrobuono, CCE com muitas emoções
1/8 Marcio Appel, na saída da prova de Salto, reverência ao BH Iberon Jmen, de 18 anos, que se despede das pistasMarcelo Mastrobuono
Pódio do Concurso Completo de Equitação (CCE) por equipe,  com Grã-Bretanha (Ouro),  Austrália (Prata) e França (Bronze),  Grã-Bretanha (Ouro),  Austrália (Prata),   França (Bronze), FEI/EFE/Kai Försterling, CCE com muitas emoções
2/8 Pódio do Concurso Completo de Equitação (CCE) por equipe, com Grã-Bretanha (Ouro), Austrália (Prata) e França (Bronze)FEI/EFE/Kai Försterling
Pódio do CCE Individual,  com a alemã Julia Krajewski (Ouro),  o britânico Tom McEwen (Prata) e o australiano Andrew Hoy (Bronze), om a alemã Julia Krajewski (Ouro),  o britânico Tom McEwen (Prata) e o australiano Andrew Hoy (Bronze), Luis Ruas/CBH,
3/8 Pódio do CCE Individual, com a alemã Julia Krajewski (Ouro), o britânico Tom McEwen (Prata) e o australiano Andrew Hoy (Bronze)Luis Ruas/CBH
Rafael Losano e Fuiloda G no início do cross-country, Luis Ruas/CBH, CCE com muitas emoções
4/8 Rafael Losano e Fuiloda G no início do cross-countryLuis Ruas/CBH
Marcelo Tosi e Genfly no cross-country; a dupla não competiu no salto, Luis Ruas/CBH, CCE com muitas emoções
5/8 Marcelo Tosi e Genfly no cross-country; a dupla não competiu no saltoLuis Ruas/CBH
Marcio Appel e Iberon JMen: despedida em final olímpica com apenas uma falta, Luis Ruas/CBH, CCE com muitas emoções
6/8 Marcio Appel e Iberon JMen: despedida em final olímpica com apenas uma faltaLuis Ruas/CBH
Carlos Parro com Goliath,  melhor resultado do Time Brasil no Concurso Completo , Luis Ruas/CBH, CCE com muitas emoções
7/8 Carlos Parro com Goliath, melhor resultado do Time Brasil no Concurso Completo Luis Ruas/CBH
Carlos Parro com Goliath no Salto,  final olímpica do Concurso Completo, Luis Ruas/CBH, CCE com muitas emoções
8/8 Carlos Parro com Goliath no Salto, final olímpica do Concurso CompletoLuis Ruas/CBH
Marcio Appel, Iberon Jmen Grã-Bretanha (Ouro), Austrália (Prata),  França (Bronze)om a alemã Julia Krajewski (Ouro), o britânico Tom McEwen (Prata) e o australiano Andrew Hoy (Bronze)

A final do Concurso Completo de Equitação (CCE), como de costume, foi recheada de emoções, algumas muito boas, outras muito tristes. Nos pódios, na de muitas surpresas. Nas equipes, o Brasil, que entrou para a prova final de salto, realizada na tarde desta terça-feira (2/8), com apenas dois conjuntos, terminou em 12º lugar. Grã-Bre Grã- Bretanha de Tom McEwen/Toledo de Kerser, Laura Collet/London 52 e Oliver Townend/ Ballghmor Class foi ouro,  com 86.30 pontos perdidos (pp), seguida  pela prata da  Austrália, de Kevin McNab/Don Quidam, Shane Rose/ Virgil e Andrew Hoy/Vassily de Lassos, com 100.20 pp, e o bronze da França, com 101.50 pp. No Individual, pela primeira vez uma mulher levou o Ouro, com a alemã Julia Krajewski/Amande de B´Neville. A medalha de prata ficou com o britânico Tom McEven/Toledo de Kerser, com 29.30 pp, e a bronze com o australiano Andrew Hoy/Vassily de Lassos, com 29.60 pp. 

Um dos destaque positivos foi a participação do brasileiro Nelson Pessoa Filho, o Neco, pai do campeão olímpico Rodrigo Pessoa, integrante do Time Brasil de Salto, no pódio de prata da Austrália. Neco é o treinador de salto da equipe australiana. Mais uma outra grande conquista desse ícone do hipismo mundial, que em 1964 já esteve Tóquio como único representante brasileiro no Time Brasil de Salto.

Um dos momentos mais emocionantes da participação brasileira foi a apresentação de Marcio Appel, com Iberon Jmen. Escalado para substituir Marcelo Tosi/Glenfly, que desistiu da prova de Salto (Veja AQUI), Marcio/Iberon fizeram apenas uma falta e levaram mais 0.4 de penalização no tempo. Na saída, Marcio Appel deu uma emocionada entrevista à Revista Horse na Zona Mista, falando sobre a despedida de Iberon das pista, seu Brasilerio de Hipismo (BH) de 18 anos, que fez sua segunda olimpíada. "Claro que a gente queria que a equipe tivesse melhor, tivemos os problemas veterinários que fogem um pouco do nosso alcance. Se o Rafael tivesse terminado, mesmo com a saída do Tosi, talvez a gente brigasse não por medalhas, mas uma posição melhor que no Rio de Janeiro. Mas meu cavalo merecia isso, mostra que com essa idade e energia: ele gosta de competir. Foi a despedida perfeita para ele das pistas e eu estou muito feliz em poder proporcionar isso e foi uma linda apresentação", declaro, lembrando que Iberon é o único BH nessa Olimpíada. "Dos 200 cavalos na Rio 2016 que estão aqui, só 14 estão aqui em Tóquio, isso realmente foge aos paradigmas. Acho também é uma prova o que eu, um cavaleiro amador e não moro na Europa e monto um BH, que todos nós podemos ir atrás de nossos sonhos", destacou Marcio. Veja íntegra do áudio da entrevista à Revista Horse AQUI

O outro conjunto que finalizou a participação do Time Brasil de CCE foi Carlos Parro/Goliath, que também cometeu uma falta na entrada, penalizado em 4 pontos, totalizando 62.90 pontos perdidos  e fechando a competição no 33º posto individual,  entre um total de 63 conjuntos.  "A gente precisa de mais conjuntos, mais cavalos e ter uma equipe mais forte. Meu cavalo Goliath, sela holandês de 10 anos, sempre foi muito bom no salto. Para mim virou uma coisa individual. O importante é que depois do cross ele saltou muito bem. Como falei depois do cross, o Goliath é um cavalo para o futuro e acho que pode realmente ser muito bom. Problemas veterinários são coisas do esporte. A gente precisa de um planejamento melhor para próxima Olimpíada. Agora temos o Mundial em 2022, Pan-americano em 2023 e depois a Olimpíada de Paris, acredito que o Goliath tem condições de entrar nessas equipes e fazer um bom resultado", disse à Revista Horse na Zona Mista.

No dia anterior, após a prova de Cross, o jovem cavaleiro Rafael Losano, 23 anos, comentou na Zona Mista sobre os motivos que o levaram a desistir da prova a Faltando apenas dois obstáculos para o final.  "A égua começou bem e na reta final acabou estamina da égua. Tive que parar. Faz parte do jogo, tentei o mais rápido. Eu sabia que seria duro, essas coisas acontecem com os melhores do mundo. No português claro: acabou a gasolina", comentou Rafael, radicado na Inglaterra.

O experiente cavaleiro Marcelo Tosi, 52 anos, que também falou à Horse na Zona Mista do Sea Forest Cross Country Course, onde foi realizada a prova de Cross. primeiro brasileiro no cross, estava satisfeito após a prova. "Meu cavalo se portou bem no cross, foi muito bom. O calor pegou um pouco, eu também senti o calor, não é desculpa", disse ele, que fez apenas 8 pontos perdidos na prova e, até então, era o melhor brasileiro na competição e fez apenas 8.80 pp no Cross.

Tosi nem chegou a colocar Glenfly na Inspeção dos Cavalos, na manhã de segunda-feira (2/8), e justificou os motivos " O Glenfly perdeu uma ferradura depois do 9B e ficou muito dolorido após o cross country. Hoje, a melhora não foi suficiente para apresentarmos ele na visita veterinária e fazer o salto com a mínima condição de poder saltar o percurso. Gostaria de agradecer a torcida de todos que nos apoiaram e toda a equipe que esteve junta nas Olimpíadas de Tokyo 2020. Me desculpem por desfalcar a equipe de hipismo completo do Brasil. Obrigado Genfly!", disse referindo-se ao seu Puro Sangue Inglês (PSI) de 16 anos.

Veja como ficaram os resultados individuais e do Time Brasil de CCE

final salto, cce, tokyo 2021, 2021, imprensa,
Final Salto

O registro triste do Concurso Completo de Equitação da Tóquio 2020 foi o acidente com o cavaleiro suíço Robin Godel e seu cavalo Jet Set na prova de Cross. O animal sofreu uma lesão grave, foi atendido e socorrido pela ambulância, mas teve de ser sacrificado.

Pódio Equipes

Ouro - Grã Bretanha - 86,30 pp
Prata  - Austrália - 100,20 pp
Bronze - França - 101,50 pp
12º Brazil - 463,60 pp

Pódio Individual
Ouro - Julia Krajewski/Amande de B´Neville, Alemanha- ALE: 26 pp
Prata - Tom McEwen/Toledo de Kerser GBR -29,30 pp
Bronze - Andrew Hoy/ Vassily de Lassos -AUS -31,90 pp

Revista Horse/Assessoria de imprensa da CBH. -Fotos Luis Ruas/CBH
Deixe seu Recado