12-Mar-2020 16:20 - Atualizado em 13/03/2020 09:46
Treinamento

De volta ao trabalho

Após o período de férias, é importante iniciar o treinamento de maneira gradual para evitar qualquer tipo de lesão ou de estresse

,
Assine a Horse

Considero o período chamado de “férias hípicas” fundamental. Afinal de contas, os cavalos também precisam e merecem. Em geral, esse período compreende os meses de janeiro e julho, quando as competições dão uma pausa. Tempo necessário para que o cavalo descanse e usufrua de algum tempo em liberdade. Nesse tempo, os cavalos de esporte também podem fazer um trabalho livre no redondel ou um trabalho leve à guia, ou mesmo passear à mão ou fazer um passeio montado (exterior) para quem não dispõe de piquete de soltura.

Mas, após esse período, qual a melhor conduta a ser adotada no retorno ao trabalho habitual?

Esteja certo de que seu cavalo não esquecerá das lições que lhe foram ministradas. Afinal, equinos têm excelente memória. O mais importante é iniciar o treinamento de maneira gradual para evitar qualquer tipo de lesão ou de estresse.

O sistema muscular é primordial na prática dos exercícios, pois os movimentos são resultantes das contrações dos músculos esqueléticos. O desempenho do cavalo depende da capacidade dos seus músculos.

,
Após retomar as atividades, é importante ajustar a alimentação
Recomendo, então, voltar ao trabalho com os exercícios de guia, para que o cavalo relaxe e aqueça seus músculos e articulações. Durante a prática, permita que o cavalo flexione o pescoço, para frente e para baixo, numa atitude de alongamento da silhueta, levantando o dorso e entrando com os posteriores. Você pode exercitá-lo durante 10 minutos para cada lado. Seria interessante e recomendável trabalhar dessa forma durante os primeiros dias de retorno. Após esse tempo, comece a montá-lo de maneira suave e sem muitas exigências.

Gosto de continuar o trabalho com a guia antes de montar, pelo menos cinco minutos  para cada lado, deixando o animal bem descontraído e aquecido, sem meu peso sobre ele. Em seguida, faço sessões com duração aproximada de 30 minutos. Importante ressaltar que em dias muito quentes, como esses de verão, não faço o trabalho à guia em cavalo do tipo apático (letárgico/preguiçoso).

E mesmo em cavalos enérgicos e bem dispostos é preciso ter cautela em dias de alta temperatura, já que os exercícios nesses dias serão um desafio para o sistema respiratório, pois a perda de calor evaporativo fica prejudicada. Voltando ao trabalho, iniciar ao passo, relaxado e fluente, para os dois lados. Fazer o trabalho ao trote  por poucos minutos e retomar o passo novamente. Alternar. Faça curtas sessões ao galope. Retome o trote por mais alguns minutos. No final do trabalho, deixe seu cavalo andar ao passo durante um bom tempo, até que ele restabeleça a normalidade na  respiração e reduza o ácido lático dos seus músculos a nível desejável. Particularmente, prefiro não trabalhar montado todos os  dias, por isso revezo com a guia ou em liberdade. Após 15 dias até um mês do programa de treinamento pós-férias, o animal já deverá estar mais bem disposto e com ótimo condicionamento para retomar as atividades mais intensas que lhe serão exigidas.

,
Durante a prática, permita que o cavalo flexione o pescoço, para frente e para baixo, numa atitude de alongamento da silhueta, levantando o dorso e entrando com os posteriores
Sabemos que todos os Programas de Treinamentos devem ter em vista a capacidade e o comportamento de cada um, respeitando e atendendo à sua individualidade.

Importante lembrar do ajuste da alimentação durante o retorno ao trabalho, pois o nível de necessidade de energia irá aumentar consideravelmente. Esse aumento está relacionado à demanda natural para a manutenção da contração muscular. Portanto, é altamente recomendável que haja uma suplementação nutricional balanceada.

Enfim, ao retomar o treinamento, no trabalho de base com sessões curtas, certamente seu cavalo desenvolverá o condicionamento e o desempenho atlético ideais.

Lembre-se: o bem-estar e a performance são dependentes da habilidade técnica e sensível do treinador, juntamente com o supervisão do veterinário e da devida nutrição e suplementação.  (Artigo publicado na edição 63 da Revista Horse)

Revista Horse
Ndzinji Pontes

Ndzinji Pontes

Cavaleiro angolano radicado no Brasil, titular da Coudelaria Função em Ibiúna, SP, é um dos mais respeitados treinadores de adestramento do Brasil, recebendo em seu centro de treinamento os mais importantes cavalos da modalidade no Brasil.

Deixe seu Recado