01-Ago-2021 03:23 - Atualizado em 02/08/2021 22:26
Horse Tokyo 2-2-

Desistência de Rafael Losano/Fuiloda no Cross tira Brasil do páreo no CCE

Na prova de Salto, Time vai brigar para fugir das últimas colocações. Marcelo Tosi/Glenfly (foto) fez boa prova e está em 23º na classificação geral

undefined,
d

marcelo tosi, cross, cce, tokyo 2021, Gleenfly, Marcelo Mastrobuono/Revista Horse
Marcelo Tosi/Glenfly: melhor resultado do Time e 24ª colocaçãoMarcelo Mastrobuono/Revista Horse
A expectativa de o Time Brasil de Concurso Completo de Equitação (CCE)  recuperar o desempenho mediano das provas de Adestramento no circuito de Cross-country, realizado na manhã deste domingo (1º/8), no Sea Forest Cross-Country Coursee, durou até um pouco mais da metade da prova. O cavaleiro brasileiro estreante em Olimpíada, Rafael Losano, de 23 anos, não conseguiu concluir o percurso de 4.4220 metros com a égua Fuiloda G  e desistiu antes de passar pelos dois últimos obstáculos. Com isso, o Time Brasil levou uma penalização de 200 pontos, terminando a prova em 12º, com 335,20 pp, na antepenúltima colocação, à frente de Polônia, que teve um eliminado, e de Suécia e Tailândia, que tiveram todos os conjuntos sem somar pontos na prova de Cross.

Na última etapa do CCE, com a
rafael losano, cross, cce, tokyo 2021, 2021, imprensa, Marcelo Mastrobuono/Revista Horse
Rafael Losano/Fuiloda: bom início, mas desistência antes dos dois últimos obstáculosMarcelo Mastrobuono/Revista Horse
modalidade de Salto, marcada para segunda-feira (2/8), a partir das 17h de Tóquio (5h da manhã no Brasil), o Time Brasil, que está na 12ª posição, deve escalar o reserva Marcio Appel/Iberon Jmem, de acordo com as novas regras, mas só para tentar fugir das últimas colocações. A liderança por equipe continua com a Grã-Bretanha (78.30 pp), seguida pela Áustria (96.20 pp), e França (97.10 pp).

Na saída da prova, Rafael Losano falou sobre os motivos que o fizeram a abandonar a prova de Cross, mesmo faltando apenas dois obstáculos para concluir o percurso. " A égua estava indo muito bem, estava zero, vindo rápido. Eu assisti os cavaleiros que vinham antes de mim, o percurso estava montado muito bem, mas é parte do jogo. Eu tentei ir o mais rápido que pude, mas chegou no final a égua trotou e eu tive de sair andando", disse ele, que atribuiu a situação ao calor de Tóquio, que estava na casa de 31º graus, mas com uma umidade muito forte e sensação de 36}. 

carlos parro, cross, cce, tokyo 2021, Goliath, Marcelo Mastrobuono/Revista Horse
Carlos Parro/Goliath: escolarização para o futuroMarcelo Mastrobuono/Revista Horse
O melhor resultado individual brasileiro foi Marcelo Tosi/Glenfly, 15º a entrar no circuito montado pelo designer norte-americano Derek di Grazia, com 23 obstáculos e 36 esforços. Tosi fez uma boa prova, com apenas 8.80 pontos perdidos e terminou na 24ª colocação geral, com 40.30, somando os 31.50 do Adestramento. No individual, o britânico Oliver Townend/Ballaghmor Class fez zero de penalização e assumiu a ponta, seguido de perto pela alemã Julia Krajewski/Amande de B'Neville/, com 25.60 pp, e  também a britânica Laura Collett/London 25.80 pp. O alemão Michel Jung/Chipmink FRH, bi-medalha de Ouro Individual em Londres 2012 e Rio 2016, que liderava após a prova de Adestramento, tomou 11 pontos de penalização no Cross e caiu para 10ª colocação.

O cavaleiro Carlos Parro, o Cacá, medalha de Bronze Individual e Prata por equipe no Pan-americano de Lima 2019, juntamente com os demais cavaleiros do Time que está representando o Brasil na Tóquio 2020, foi o 63º e último a entrar em pista, com algum tempo de atraso, já que houve algumas paralisações em razão de quedas durantes a prova. Em um dos acidentes, com o cavaleiro suíço Robin Godel, seu cavalo Jet Set sofreu uma lesão grave, foi atendido e socorrido pela ambulância, mas teve de ser sacrificado.

Após alguns minutos de paralisação, Parro entrou já sabendo que o Time só brigaria para fugir das últimas colocações, com a desistência de Rafael Losano/Fuiloda G, que resultou na punição de 200 pontos, mas quis colocar Goliath,  de 10 anos, no circuito para ganhar experiências. Terminou com 22.80 de penalização, ficando em 33 na classificação geral Individual. "Para um cavalo novo, como havia falado ontem, ele foi muito bem. Respondeu minhas perguntas muito bem, muito atencioso. Ele cansou um pouco no final. Até no aquecimento ele já estava respirando forte", disse, destacando que o cavalo estava preparado, pois já fez prova deste nível na Europa. "Ele cansou, daí tive de diminuir o ritmo para montar até o final. Mas ele aprendeu muito e vai ser um cavalo muito bom para o futuro", previu.

Na Zona Mista do Sea Forest Cross-Country Course, uma outra ilha japonesa onde também estão sendo realizadas as provas de canoagem, os cavaleiros brasileiros falaram com a reportagem da Revista Horse, que acompanham todo o hipismo direto de Tóquio.  

Final do Salto do CCE: Individual e equipe - Fuso horário de Brasília
Segunda-feira, 2 de agosto  -
CCE Salto Final Equipes e Individual
5h – 7h35 e 8h45 – 9h30
Cerimônia de Premiação Equipes
Cerimônia de Premiação Individual

 



 

Revista Horse
Deixe seu Recado