07-Jan-2021 13:55
Crônica

Dr. Emílio - Capa galo

Uma das cirurgias mais efetuadas, tanto por veterinários, como por leigos (infelizmente), é a capação, castração ou orquiectomia de equinos.

horse,
Assine a Horse

Uma das cirurgias mais efetuadas, tanto por veterinários, como por leigos (infelizmente), é a capação, castração ou orquiectomia de equinos. Neguinho faz utilizando os métodos mais sofisticados, entubado num hospital veterinário, anestesia volátil e o ‘cacete’, com assepsia e recursos dentro dos padrões mais restritos da veterinária, até com canivete, sem anestesia, sem nada, na tigrada, deixando o bicho todo amarrado e sofrendo na mão de leigos. Imagine o que deve ser uma dor de castração “a frio“ feita por peões metidos a valentões. Queria ver se fosse no deles (rs)! 

cronica ,
Cronica 83
A cirurgia é de fato banal quando os “grãos” estão bem localizados na bolsa e o cavalo anestesiado, mas, via de regra, não é isto que acontece. No dia a dia diríamos que 90% das vezes, os carinhas fazem uma anestesia meia boca, derrubam o bicho com corda, amarram que nem porco e metem o bisturi (quando não, um canivete). O cavalo é um bicho forte e aguenta, na maior parte das vezes, as cagadas dos seres humanos idiotas. 

Antigamente utilizavam uma técnica muito peculiar e extremamente cruel. Cortavam o saco, expunham as bolas, amarravam-se duas taquarinhas de bambu, deixava-se os grãos secarem ao Deus dará e as bolas caíam sozinhas após o “cordão ficar preto”. Método paleozoico, que, graças a Jesus Cristo, nunca mais vi. Outra coisa que é muito comum acontecer e que leva a morte do animal é o cirurgião ou pseudo-cirurgião ficar brigando com o testículo na hora da tração e retirada. O tonto puxa pra cá e o cavalo puxa pra lá. Daí o que pode ocorrer é acabar arrebentando o cordão lá dentro do cavalo, tornando-se inacessível dentro das condições rústicas que o boneco está trabalhando e o equino morre por hemorragia interna. Portanto, não façam força para tracionar o testículo! Depois transfixem com fé e coragem.  Anestesie mais, sem medo. Deixe o bicho bem relaxado que não judiará dele e o procedimento rolará com muito mais tranquilidade, além de ser muito mais seguro para todos. 

Concluindo, a cirurgia de castração em equinos é banal, mas é necessário utilizar uma boa anestesia. Então, pesquise sobre isso, troque figurinhas com veterinários mais experientes, pois cada um tem um protocolo, uma técnica e com a experiência e o tempo verá qual se adapta melhor aos seus padrões profissionais. Só não deixe o animal sentir dor, por favor! Pesquise, ouse, saia da mesmice. 

Mudando de pato para ganso literalmente, fiz uma coisa curiosa ontem. Por pura ousadia (adoro esta palavra) me propus a capar um galo. Isso mesmo. O proprietário de um sítio comentou comigo que queria capar uns galos como fazem na Europa, dizendo que a carne fica mais marmorizada e se eu sabia quem faria. Para minha surpresa e dele respondi que faria! Capar galo a esta altura do campeonato? Se a notícia vaza como que fica minha moral hein veterinário de equinoshhh? Como faço com meu marketing pessoal hein veterinários metidos a besta? Enfim, aos quase 60 estou ‘cagando e andando’ para esta turminha. E lá fui estudar como se capa galo, sem judiar do coitado. Alguém poderia sugerir que comprasse um galo morto e fizesse nele primeiro, mas onde ia achar um galo morto? 

Depois de uma séria pesquisa, anestesiei o galo com volátil, ele dormiu, arranquei as peninhas debaixo da asa, fiz uma incisãozinha de uns dois cm. Primeiro apareceram os sacos aéreos e logo abaixo os testículos. Tirei, fechei a pele e um abraço. Foi bico! Fiquei super orgulhoso de mim mesmo e com a autoestima lá em cima. Bem anestesiado, cirurgia bem feita! Agora o veterinário que nunca bateu no peito que é “só de equinoshhh”, agora também é capa galoshhhh! Mas, na técnica, por favor, sem tigrada, ok? (Artigo publicado na edição 83 da Revista Horse)

Revista Horse
Emílio Fontana Filho

Emílio Fontana Filho

é médico veterinário, formado pela UNESP Botucatu, em 1982, dramaturgo e colunista da Revista Horse. Consulte o autor sobre palestras e coaching sonre assuntos veterinários e afins. E-mail: [email protected]

Deixe seu Recado