19-Jan-2022 17:42 - Atualizado em 19/01/2022 18:37
Formação precoce

"É absolutamente inútil e prejudicial fazer cavalos competir com 4 anos"

Em vídeo gravado à CBH, Neco Pessoa critica uso precoce de animais e diz que a criação nacional é a quinta melhor do mundo

banners novos nov-2021, 2021, banners,
Banners novos nov-2021

neco pessoa - cavalos precoces, salto, , Reprodução. Foto de Armando Catunda
Edição 12, de julho de 2009: tema recorrente e necessárioReprodução. Foto de Armando Catunda
Já não é de hoje que o ex-cavaleiro e treinador Nelson Pessoa, o Neco, vem alertando sobre o uso precoce de cavalos novos em provas de Salto. Em julho de 2009, o assunto foi destaque principal de capa da Revista Horse (veja ao lado), com o título "O que falta é uma boa formação". Nesta quarta, em um vídeo gravado para a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), ele voltou a chamar atenção sobre a inclusão precoce dos animais em provas: "É absolutamente inútil e prejudicial fazer cavalos competir com a idade de 4 anos", alertou Neco Pessoa, no vídeo gravado a pedido do novo diretor adjunto da CBH, João Aragão, também cavaleiro consagrado em pistas internacionais. 

No depoimento, Neco também elogia a produção nacional de cavalos de hipismo, colocando o Brasil como a quinta melhor do mundo, atrás de Alemanha, França, Holanda e Bélgica. "A nossa criação no Brasil, na minha opinião, está indo muito bem, temos excelentes criadores. Depois da Alemanha, França, Holanda e Bélgica, a meu ver, está a criação brasileira. Mas devemos tomar cuidado para evitar andar muito depressa seguir a idade dos cavalos tranquilamente: 5, 6 e 7 anos e, a exemplo da Europa, em que o cavalo só pode participar em provas mais importantes depois dos 8 anos. Isso é uma coisa muito severa aqui, muito controlada."

Veja, abaixo, o vídeo da CBH publicado no Instagran da CBH

QUEM É NELSON PESSOA, O NECO
Nelson Pessoa, o conhecido Neco, nasceu no Rio de Janeiro em 1935, onde iniciou sólida e bem sucedida carreira no hipismo. Em 1961, mudou-se para Europa. Disputou cinco Olimpíada: 1956, 1964, 1968, 1972 e 1992. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964, garantiu o 5º posto individual. No Pan de Winnipeg, integrou o Time Brasil que conquistou a primeira medalha de Ouro e também foi ao pódio individual com a medalha de Prata. Foi campeão europeu, quatro vezes campeão brasileiro, sete vezes campeão (recorde de vitórias) do Derby de Hamburgo, tricampeão do Derby de Hickstead e vencedor de aproximadamente 150 GPs na Europa. Foi treinador do Time Brasil na conquista das medalhas de Bronze por equipes em Atlanta 1996 e Sydney 2020. Em Tokyo 2020, foi treinador de Salto de equipe de Concurso Completo de Equitação (CCE) da Austrália, que conquistou a medalha de Prata por equipe, e o Bronze no Individual com o conjunto Andrew Hoy/Vassily de Lassos (veja AQUI)
Atualmente é consultor técnico da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH).

Continue Lendo...

Revista Horse 12
Assinante, clique aqui para ler mais sobre este assunto na versão digital da Revista Horse.Se você ainda não é assinante, clique aqui e faça agora mesmo sua assinatura.O jornalismo de qualidade tem o seu valor. Pretigie a mais tradicional publicação equestre do Brasil!
João Aragão/Imprensa CBH
Deixe seu Recado