31-Mai-2021 11:54 - Atualizado em 02/06/2021 17:15
Eleição CBH

Em carta, FEI ameaça suspender CBH

Presidente Ingmar de Vos dá prazo de três meses para entidade realizar "novas eleições". Veja a cronologia dos principais fatos do imbróglio judicial 

horse, 2020, banners,
Horse

A novela pela disputa do comando da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) ganhou um novo personagem no último final de semana: Ingmar de Vos, presidente da Federação Equestre Internacional (FEI). Em carta enviada Francisco José Mari, atual presidente da CBH, e Bárbara Laffranchi, candidata da chapa "CBH Forte e Ativa, o dirigente máximo do hipismo mundial cobra uma solução imediata para a “guerra política” e ameaça até mesmo suspender a CBH dos quadros da FEI, caso não seja realizada uma "nova eleição" dentro do prazo de três meses. Veja a íntegra do documento original em inglês AQUI.

Conforme a Horse vem acompanhando e divulgando periodicamente, o imbróglio começou em novembro de 2020, quando a primeira eleição foi cancelada pela Comissão Eleitoral. Um novo pleito foi marcado para 29 de janeiro de 2021, quando foi eleito José Francisco Mari (Kiko) para a presidência da CBH, da chapa "Hipismo para Todos". Desde então, a chapa de oposição "CBH Forte e Ativa", de Bárbara Laffranchi, candidata a presidente, com Fernando Sperb (Fêfo), para vice, questiona o resultado na Justiça (veja cronologia dos fatos mais importantes abaixo).

No documento, enviado com cópia para Sabrina Ibañez, FEI Secretary General Luis Roberto Giugni, FEI Executive Board Member, Chair Regional Group VI, Cesar Hirsch, PAEC President, Daniela Garcia Nigaglioni, PAEC Secretary General, Ingmar de Vos cobra uma solução rápida, afirmando que a disputa está "manchando a reputação do hipismo no mundo". Diante do quadro instalado, o presidente da FEI faz até uma ameaça de suspender a CBH. “É com grande preocupação e pesar que meu time e eu estamos acompanhando este caso eleitoral e a batalha judicial que está acontecendo na CBH”, diz um trecho da carta, que vem circulando em publicações de redes sociais e grupos de WhatsApps.

A autoridade máxima do Hipismo mundial oferece ainda "ajuda da FEI para buscar um entendimento" e o fim da disputa, sugerindo, inclusive, uma nova eleição dentro dos próximos três meses. “O hipismo no Brasil merece o melhor, a começar por um Presidente e um Vice-Presidente aceitos pela maioria de seus membros. Só assim a CBH poderá continuar a ser um exemplo de conduta para a comunidade equestre internacional”, finaliza a carta.

O outro lado

À manifestação do presidente da FEI, o departamento jurídico da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) informou que está tomando providências em conjunto com assessoria externa internacional especializada para dar uma resposta "com base nos fundamentos técnicos aplicáveis à matéria".

VEJA, ABAIXO, A CRONOLOGIA DOS FATOS MAIS IMPORTANTES
30 de novembro de 2020: Em Assembleia no Prodigy Hotel, no Rio de Janeiro, Comissão Eleitoral da CBH impugna as chapas “Hipismo para Todos” e “CBH Forte e Ativa”, sob a alegação que ambas tinham irregularidades na documentação.
10 de dezembro 2021: Comissão Eleitoral da CBH publica edital convocando novas eleições para 29 de janeiro de 2021, no Prodigy Hotel, no Rio de Janeiro.
15 de janeiro de 2021: Comissão Eleitoral divulga lista de federações aptas a participar de nova eleição no dia 29 de janeiro, sem a Federação Paulista de Hipismo(FPH), alegando uma inadimplência de R$ 2.716,00, taxa de uma prova de Adestramento realizada na Hípica Paulista em 2020 que não foi quitada.
25 de janeiro de 2021: A 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro, por meio do juiz João Marcos de Castello Branco Fantinato, divulga liminar autorizando a Federação Paulista de Hipismo a participar da assembleia/eleição marcada para dia 29 de janeiro.
29 de janeiro de 2021: Em nova Assembleia no Rio, após muitas polêmicas sobre pedidos de impugnações, chapa “Hipismo para Todos” , com Francisco José Mari (Kiko), presidente, e João Loyo, vice, é eleita por unanimidade, após chapa “CBH Forte e Ativa” e apoiadores abandonarem a assembleia e realizarem uma paralela no corredor do hotel
3 de fevereiro de 2021: Por meio de ofício enviado a todas as entidades filiadas, a Federação Paulista de Hipismo (FPH) proíbe a realização de concursos de salto nacionais. Segundo comunicado, a medida permanecerá enquanto durar o imbróglio jurídico com a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), em relação à eleição da nova diretoria
7 de fevereiro: Uma liminar expedida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determina que todas as entidades do hipismo cumpram o calendário esportivo. A determinação é assinada pelo vice-presidente do STJD, Marcelo Jucá, atendendo a um pedido apresentado pelo atleta Marcello Artiaga de Almeida Castro, tendo como base o artigo 119 do CBJD.
5 de março de 2021: Apoiadores da chada de oposição “CBH Forte e Ativa” organizam um boicote de cavaleiros profissionais para não participarem do tradicional Concurso Nacional de Salto SHP Open, na Sociedade Hípica Paulista. Evento é realizado, com vitória do cavaleiro Raphael Machado Leite, paraibano radicado em São Paulo, montando Kripton Pullmann.
7 de abril :  Liminar do juiz da 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro, João Marcos de Castello Branco Fantinato, a pedido do grupo de oposição formado por 10 federações e quatro atletas do colégio eleitoral, determina que a CBH considere válido o voto de Alejandra Fernandez Neto, representante da Federação Equestre do Rio de Janeiro (Feerj), sob pena de “caso não seja possível” considerar suspenso os efeitos da eleição realizada no dia 29 de janeiro. CBH acata decisão e faz uma retificação da ata da assembleia, que mantém a vitória da chapa “Hipismo para Todos”.
30 de abril de 2021: Juiz da 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro, João Marcos de Castello Branco Fantinato, expede liminar sustando as “duas assembleias” de 29 de janeiro e determinando a realização de nova eleição para o comando da CBH.
6 de maio de 2021:  Federação Paulista de Hipismo (FPH), juntamente com nove federações filiadas à CBH e quatro representantes de Atletas do Colégio Eleitoral, publicam no Diário Oficial da União (DOU) convocação para nova eleição da CBH, no dia 12 de maio de 2021, no Hotel Prodigy, no Rio de janeiro
10/11 de maio:  Juiz Eric Scapim Cunha,
28ª Vara Cível do Rio de Janeiro, expede liminar proibindo a realização da Assembleia/eleição no dia 12 de maio. No dia seguinte, o mesmo juiz reforma sua decisão, confirmando a Assembleia, sob a alegação de que a decisão final sobre o assunto cabe à 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro, e ao respectivo Tribunal de 2ª Instância.
12 de maio de 2021: Às 11h35, Desembargador César Felipe Cury, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, defere pedido de Limar da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), anulando a liminar anterior da 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro, deixando sem efeito a Assembleia convocada pelas federações de oposição para a mesma data (12/5). Mesmo com a decisão, federações de oposição realizam a reunião e “elegem” por unanimidade, sem a presença de chapa de oposição, a chapa “CBH Forte e Ativa”, sob a justificativa que a confirmação do resultado e eventual posse dependerá de decisão judicial.




Revista Horse
Deixe seu Recado