05-Mar-2020 11:10 - Atualizado em 05/03/2020 18:56
Treinamento

Exercícios da escola acadêmica - Parte 2

Veja como e por que praticar a cedência na meia diagonal

banners,
Banners

treinamento - dudi, Rédeas, Horse, Eduardo Borba
FOTO 1Eduardo Borba
Neste artigo vamos descrever o movimento lateral na meia diagonal. Lembrando que esse exercício ainda está dentro da categoria dos denominamos cedências. Para melhor entendimento seria interessante o leitor ler as duas edições anteriores (Edição 96  e Edição 97) para que esta possa fazer um melhor sentido.

Cedência na meia diagonal

Nesse movimento escolhemos um ponto na largura da pista, onde vamos tirar o cavalo da cerca ou parede, posicionando seu corpo reto e paralelo à linha do comprimento da pista, deslocando-o lateralmente neste sentido (figura 1).

Quanto mais longe tirarmos o cavalo da largura em direção ao comprimento, maior será a distância que ele terá que percorrer até chegar a cerca do comprimento. Quando estamos com um cavalo em fase de aprendizagem, seria interessante que essa distância fosse menor, pois aí ele chega mais rápido na cerca onde vai receber um alívio com o término do movimento.

Dudi, Treinamento, Rédeas, Horse, Reprodução do Livro
FIGURA 1 - Cedência na meia diagonal, com o cavalo arqueado para direita e se deslocando para a esquerdaReprodução do Livro
Isso vai motivá-lo a querer chegar até a cerca facilitando o deslocamento, até que compreenda melhor o exercício e possa percorrer distâncias maiores e checar na cerca do comprimento da pista.

Movimento do cavalo

No movimento descrito acima, o cavalo vai estar arqueado ao contrário da direção do movimento. Vamos supor que estamos nos deslocando da direita para a esquerda. Nosso cavalo estará com o corpo arqueado para a direita, se deslocando para a esquerda (figura 1 e foto 1).

Recordando da matéria anterior, quando falamos lado de dentro e de fora do cavalo e do cavaleiro, nossa referência é com relação ao arqueamento do corpo do animal. O lado de dentro é o lado do arqueamento e o lado de fora é o contrário ao arqueamento.

Como estamos citando o exemplo do cavalo arqueado para direita, o lado de dentro do cavalo e cavaleiro é o direito, e o lado do fora é o esquerdo. Retornando ao movimento do cavalo, vamos considerar o exemplo anterior (cavalo se deslocando da direita para a esquerda). Então ele vai estar arqueado para direita, se deslocando para a esquerda paralelamente e em direção ao comprimento da pista. Nesse movimento vamos promover a abertura dos membros anteriores (foto 2) e

Dudi, Treinamento, Rédeas, Horse, Eduardo Borba
FOTO 2 - Momento do exercício onde observamos abertura do membro anterior esquerdo e cruzamento do membro posterior direitoEduardo Borba
posteriores (foto 3) de fora, que nesse caso são os esquerdos e cruzamento dos membros anteriores (foto 3) e posteriores (foto 4) de dentro, que nesse exemplo são os direitos.

Enquanto nossos cavalos ainda estão se desenvolvendo nessa cedência, apesar do movimento ser lateral (garupa e paleta se movimentando lateralmente) deixamos a paleta ficar um pouco mais adiantada em relação à garupa. Isso facilita o deslocamento do animal no exercício. Conforme o cavalo vai ficando mais hábil, podemos alinhar totalmente a garupa com a paleta, aumentando o grau de dificuldade do exercício, que irá cobrar uma maior impulsão do animal.

Objetivo

Ao praticar esse movimento dos dois lados encontraremos a seguinte situação: um lado o cavalo se desloca com mais facilidade para frente e menos para o lado, enquanto o outro se desloca com mais facilidade para o lado e menos para frente.

Esse exercício ajudará desenvolver impulsão, amplitude de movimento e simetria de impulsão e amplitude entre

Treinamento - Dudi, Rédeas, Revista Horse, Eduardo Borba
FOTO 3 - Momento do exercício onde observamos abertura do membro posterior esquerdo e cruzamento do membro anterior direitoEduardo Borba
os lados do cavalo.

Ajudas do cavaleiro

A perna de dentro, no caso citado à direita (foto 4) trabalha perto da barrigueira, ajudando na construção da encurvatura e no deslocamento do cavalo para o lado contrário ao da encurvatura. Se o cavalo está aprendendo e mostra dificuldade em deslocar a garupa no sentido do deslocamento, coloco minha perna de dentro mais para trás, ajudando no deslocamento da garupa e completando com a rédea de dentro, levantando-a no sentido vertical.

A perna de fora (foto 4) está na posição natural,

Treinamento - Dudi, Rédeas, Revista Horse, cavalos, Eduardo Borba
FOTO 4 - Momento do exercício onde observamos cruzamento do posterior direitoEduardo Borba
ajudando na impulsão do cavalo. Em algumas situações posso usá-la um pouco mais para frente, completando com a rédea de fora posicionada reta em direção à minha cintura, para ajudar a segurar a paleta, já que às vezes começa se deslocar muito mais que a garupa para compensar a dificuldade de deslocamento desta.

Muitas vezes temos que mudar a ajuda padrão para poder auxiliar alguma dificuldade específica de determinado animal. A rédea de dentro, no caso citado a direita (foto 3) trabalha a encurvatura do animal. A rédea de fora (foto 3) impulsiona o movimento.

No próximo encontro falaremos do exercício espádua a dentro. (Artigo publicado na ediçao 98 da Revista Horse)

LEIA OUTROS ARTIGOS DESTA SEQUÊNCIA:
PARTE 1 - PARTE 3  - PARTE 4

Revista Horse/
Dudi Ometto

Dudi Ometto

Treinadora de Rédeas do Projeto Doma e Zootecnista. E-mail: [email protected]

Deixe seu Recado