06-Jul-2021 11:58
Segmento equestre

IBEqui sugere a criação de "Observatório do Cavalo"

Proposta foi apresentada à Câmara Setorial de Equideocultura durante reunião de trabalho com demais membros da entidade

horse, 2020, banners,
Horse

O Instituto Brasileiro de Equideocultura (IBEqui) sugeriu à Câmara Setorial de Equideocultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a criação de um “Observatório do Cavalo”, que teria a função de aglutinar todas as demandas do setor em único ponto. A proposta foi apresentada pelo presidente Executivo do IBEqui, Manuel Rossitto, durante a 38ª reunião da entidade, realizada de forma virtual, na tarde de quinta-feira (1º/7). O encontro também contou com representantes de outras entidades que compõem o grupo e discutiu outras ações que estão sendo desenvolvidas pelos Grupos de Trabalho.,

Na ocasião, o presidente da Câmara Setorial, José Carlos Fragoso Pires, passou as informações mais recentes e explicou que reuniões extraordinárias haviam sido realizadas nas últimas semanas, após a criação dos Grupos de Trabalhos (GTs), que têm como objetivo focar em alguns temas que afligem a cadeia do cavalo. Apresentações dos grupos de trabalho de Saúde Animal, Bem-Estar, Inovações no Turfe e Inovação e Tributação na Equideocultura, também fizeram parte da pauta.

IBEqui na Câmara Setorial

Segundo o presidente executivo do IBEqui, Manuel Rossitto, o ‘Observatório do Cavalo’ está dentro das pautas sugeridas e seria uma forma de agregar informações sobre o setor num único local. “A ideia é congregar todas as informações para começar a trabalhar na atualização dos números do setor e mostrar a grandeza do cavalo dentro do agronegócio”, completou Karina Poschen Bianco, secretária executiva do IBEqui, que também participou do encontro.

Rossitto sugeriu para o presidente da CS da Equideocultura, José Carlos Pires, a inclusão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no grupo, para ajudar na atualização dos dados do setor. “Vamos agendar encontros com a CNA para que nos auxiliem nos pleitos futuros e agregar o IBGE e outras entidades, para complementar cada vez mais os nossos trabalhos na Câmara Setorial de Equideocultura e nos fortalecer”, finalizou Pires.

Ainda durante a sua apresentação, Manuel Rossitto contou que os trabalhos continuam em diferentes frentes. “No último mês ouvimos as entidades participantes para decidir quais serão as nossas pautas prioritárias, para compartilhar com vocês aqui na Câmara Setorial, e chegamos nesses pontos que abordamos na apresentação”, explicou.

Outras sugestões do IBEqui à Câmara 
•             Segurança Jurídica dos Esportes Equestres alinhada com o Bem-Estar Animal;
•             Passaporte Equestre para rastreamento (Controle do mormo e anemia infecciosa, inclusive para exportação);
•             Imagem do cavalo perante a sociedade;
•             Números do setor – dados da cadeia produtiva com estatísticas fidedignas e atualizadas;
•             Profissionalização da área de marketing do setor, visando novos patrocínios para as entidades;
•             Melhorias na cadeia alimentar e nutrição animal;
•             Criação de projetos de funding para fomento do setor;
•             Criação de bancada pró-cavalo no Congresso;
•             Exportação;
•             Disseminação do turismo equestre no Brasil e liberação de parques para cavalgada;
•             Estudar possibilidades de desburocratizar a Lei de Incentivo ao Esporte, para o setor do cavalo;
•             Ampliação dos trabalhos sociais com o cavalo.

Assessoria IBEqui
Deixe seu Recado