01-Fev-2021 10:32 - Atualizado em 08/02/2021 09:22
Treinamento

IMPULSÃO OU CORRERIA

Não é raro assistir cenas de cavalos nitidamente “correndo”, com andamentos encurtados, numa atitude tensa e desconfortável em busca de impulsão. 

Assine a Horse,
Assine a Horse

Não é raro assistir cenas de cavalos nitidamente “correndo”, com andamentos encurtados, na maioria das vezes, com o conjunto cabeça/pescoço “esmagados”, numa atitude tensa e desconfortável em busca de impulsão. Ainda há muita confusão sobre o que é de fato um cavalo­ impulsionado.
Vamos compreender primeiro o significado da palavra. Impulsão é um substantivo derivado da palavra IMPULSO. Impulso, por sua vez, possui alguns significados no dicionário: movimento comunicado a um corpo. Força que determina esse movimento. Força que atua como motivo. Esforço, estímulo.

treinamento ,
Para trabalharmos a impulsão, precisamos, primeiro, checar se a base anterior está bem consolidada
Aplicando esses significados na equitação começamos por um movimento comunicado ao cavalo, ou seja, uma sugestão para ativar as passadas através de uma solicitação, de um estímulo. Veja que o dicionário fala em força que atua como motivo. Talvez esteja aqui um dos motivos para o equívoco. Força, neste caso, não é sinônimo de atuações fortes e grosseiras por parte do cavaleiro, ocasionando tensão e, ao contrário do que desejamos, a correria acaba provocando um encurtamento dos andamentos.
É preciso ter em mente que, para trabalharmos a impulsão, precisamos, primeiro, checar se a base anterior está bem consolidada. O cavalo deverá sentir-se livre, com passadas regulares e cadenciadas, chegando à mão do cavaleiro com um contato leve, porém consistente. Vejo treinadores trabalhando impulsão em cavalos que nem sequer “encostam” em suas mãos ou, ao contrário, aqueles que mantém seus cavalos “pendurados”. Pense: onde chega a impulsão que vem dos posteriores? Nas mãos do cavaleiro! Se não for desse modo, o contato é precário, seja ele inexistente e pouco eficaz ou mesmo rígido, como, então, essa energia será recepcionada pelas mãos do cavaleiro e chegar novamente aos posteriores? Se o fluxo de energia é bloqueado como manter a impulsão e fazer com que os posteriores avancem?
Após esses conceitos estarem compreendidos por parte, principalmente, do cavaleiro/treinador podemos seguir para o próximo estágio. Agora com o cavalo reto, direito, para frente e com um contato adequado podemos desenvolver a impulsão. Uma das maneiras de bem executar este trabalho é através das transições entre os andamentos, diminuindo e aumentando a passada entre eles. A trote, por exemplo, convidar o cavalo para transitar para o galope, estimulando o desejo de avançar, mas sem correria! Desejo de avançar não deve ser confundido com simplesmente fazer o cavalo correr. Desejo de avançar é ampliar, crescer a AMPLITUDE das passadas, controlando e canalizando a energia.
É usual falar em desejo de avançar, mas é bom lembrar que é DESEJO de avançar e não OBRIGAÇÃO de avançar. Observe a diferença entre o significado dos termos: desejo é sinônimo de querer, de ter vontade. Um cavalo obrigado é um cavalo visualmente forçado e a consequência disso é tensão que, por sua vez, é sinônimo de bloqueio. Como haverá desejo de avançar (desejo de verdade) que fará o movimento ficar amplo e elástico com um corpo tenso? Em geral os cavalos bloqueiam o dorso, que podemos considerar como uma “ponte” por onde a energia “passa”.
Voltando aos exercícios que desenvolvem a impulsão e considerando que o cavalo já tem os pré-requisitos necessários citados acima, entramos com trabalhos curtos com muitas transições crescentes dentro do mesmo andamento, com foco no trabalho de trote e galope, com pausas de passo dentro do trabalho. A trote realizar a ginástica em círculos grandes, cedendo a perna alinhando e abrindo o trote. No final fazer a transição ao passo seguido de relaxamento total, pois este exercício conecta o posterior e cria grande impulsão. Contudo, ele deve ser praticado poucas vezes por criar um cavalo excessivamente para frente. Devemos lembrar que a verdadeira impulsão vem de moldura descontração versus desejo de avançar, sem excesso de energia que gera tensão, descontrole e uma mente ansiosa e desatenta. (Artigo publicado na edição 86 da Revista Horse)

Revista Horse
Ndzinji Pontes

Ndzinji Pontes

Cavaleiro angolano radicado no Brasil, titular da Coudelaria Função em Ibiúna, SP, é um dos mais respeitados treinadores de adestramento do Brasil, recebendo em seu centro de treinamento os mais importantes cavalos da modalidade no Brasil.

Deixe seu Recado