12-Mar-2020 15:46 - Atualizado em 13/03/2020 09:46
Veterinária

Na mira das Infecções

Problema atinge desde recém-nascidos até potros jovens e deve ser contido com maior rapidez, pois utiliza meios comuns como ar, água e alimentos para se propagar

,
Assine a Horse

Todos que gostam de cavalos sonham em criar seu próprio potro, escolhendo a égua, o garanhão, enfim, toda a genética. Bom, o potrinho nasceu saudável, mas as coisas podem não caminhar conforme o esperado. Uma lista de incidentes pode atrapalhar seu futuro, entre elas, as infecções.

O sistema imunológico do recém-nascido é extremamente frágil e, é papel do colostro - “leite” das primeiras horas -, estabelecer um equilíbrio nesse sistema, por isso é tão importante observar se o potro mamou o colostro, assim que nasceu.

As infecções são um grande problema tanto em adultos, quanto em jovens, principalmente por sua transmissão, que geralmente é rápida e se utiliza de meios comuns como ar, água e alimentos para se propagar.

Existem dois grandes grupos causadores de infecções: os Vírus e as Bactérias.

,
Para prevenir as infecções é preciso começar pelo manejo da matriz, que deve ter uma alimentação correta, vacinação e controle de parasitas internos e externos
Os Vírus, no geral, apresentam uma rápida transmissão e causam sintomas como picos de febre, indisposição, sudoreses, apatia e perda de apetite e, nos potros, afetam principalmente o trato gastrointestinal causando desidratação e diarreias. Um dos principais é o Rotavírus, que acomete o intestino delgado invadindo as células e destruindo-as, diminuindo a absorção de líquido. É um vírus muito resistente no ambiente, podendo persistir por até nove meses.

Já as Bactérias, atingem o organismo do potro em diversos sistemas como gastrointestinal, nervoso, respiratório, urinário etc. A febre constante, apatia e alterações nas mucosas são sinais geralmente encontrados. Salmomelas, Clostrídios e Rodococcus são agentes comuns. A septcemia, ou seja, a infecção generalizada, causa diversos processos de degradação do organismo, resultando em falhas dos sistemas orgânicos, como insuficiência circulatória e incapacidade de usar certos elementos metabólicos, culminando com o choque séptico.

Nos Potros, algumas infecções são mais comuns, e uma das maiores causas de morte é a Pneumonia. Alguns sinais são a secreção nasal, tosse, febre, aumento da frequência respiratória e do esforço para respirar.

A infecção pelo Rhodococcus merece destaque, pois os sinais surgem de forma aguda, e os potros podem apresentar dificuldade respiratória grave, além de poder desenvolver complicações, como diarreia, abscessos cutâneos, artrite reativa, peritonite.

Vírus e bactérias: combinação perigosa

Em alguns casos nota-se uma parceria entre os vírus e bactérias quando, inicialmente, os vírus infectam o organismo causando lesões leves a moderadas, sendo assim, criam portas de entrada para as bactérias, que já encontram um sistema de defesa comprometido e esgotado.

Sabe-se que quanto mais cedo é iniciada a assistência correta, maiores são as taxas de sobrevivência e menores são as sequelas nos animais.

Quando pensamos no tratamento de potros vítimas de infecções graves, devemos ter em mente que será necessário desenvolver um  plano de guerra para se obter um bom resultado.

Além de diagnosticar o quadro, instituir tratamento e acompanhar o processo, o Veterinário deve assumir o posto de comando na situação, explicando de maneira clara e objetiva para os envolvidos quais serão as medidas necessárias.

Passar noites em claro, ou com poucas horas de sono, enfrentar matrizes um tanto irriquietas e segurar potrinhos por longos períodos, serão situações comuns.

Metas do tratamento

No geral, pode-se instituir três metas no tratamento de um potro: manter a hidratação, controlar a infecção e dar suporte ao organismo.

• Hidratação

Com certeza um dos principais problemas encontrados nos potros acometidos é a desidratação. As causas são a diarreia, a diminuição da ingestão de líquidos e da absorção.

Potros recém-nascidos ficam apáticos e param de se amamentar, o que resulta em perda de água e nutrientes. É preciso acesso venoso para instituir a reposição desse líquido através do soro. Um dos problemas é conter o potro, quando se deve agir de maneira calma, porém eficaz, com um mínimo de estresse.

• Controle da Infecção

Quando a infecção for viral, infelizmente estamos mais limitados, tanto pela dificuldade de diagnosticar o tipo envolvido, como também pelas características virais, que incluem rápida mutação e resistência. Já com as Bactérias, desenvolveu-se um enorme gama de Antibióticos, atuando de diversas maneiras para combatê-las e cabe ao Veterinário buscar o melhor diagnóstico para cada caso, indicando o antibiótico mais indicado para aquele problema. Pode-se fazer-se uso de exames laboratoriais para melhor definição do agente causador. A única ressalva é o tempo para obtenção do resultado. E quando o assunto é Potro, tempo é fundamental.

Assim, o bom profissional irá se utilizar da sua experiência e da detecção de alguns sinais para instituir um primeiro tratamento, ou até mesmo encaminhando o caso para instituições hospitalares.

• Suporte

O potrinho que está doente e apático, não mama e deixa de ingerir água e nutrientes. Nos potros maiores, que já bebem água e comem, esse problema pode ser menor, mas também requer atenção.

Nutrientes básicos como aminoácidos, vitaminas, minerais e energia são indispensáveis para o funcionamento do organismo. Sendo assim, a administração de soluções energéticas contendo glicose, frutose, polivitaminas e minerais, deve fazer parte da medicação que será fornecida e, no geral, será aplicada juntamente com o soro.

Para potros maiores pode-se fornecer fontes alimentares mais atrativas, como alfafa e capim fresco. Em alguns casos é indicado o uso de analgésicos, anti-inflamatórios e antiespasmódicos. Estes têm a função de controlar a inflamação das estruturas afetadas pela infecção, amenizar dores, febre e espasmos, causando mais conforto ao animal.

Sequelas e prevenção

Mesmo sendo realizado um bom trabalho durante o tratamento, algumas vezes, podem surgir sequelas que comprometerão o potro, como perda no desenvolvimento, diminuição na absorção de nutrientes, problemas respiratórios, afecções articulares, entre outros, são consequências comumentes observadas nesses casos.

,
O sistema imunológico do recém-nascido é extremamente frágil e, por isso, o colostro tem papel fundamental após o nascimento
A própria medicação utilizada pode causar dano, principalmente em casos graves, onde as doses e tempo de tratamento são elevados. Já que tanto a infecção como o tratamento podem causar danos físicos, mentais e econômicos (afinal estão envolvidos gastos desde a cobertura, alimentação da égua, valor do produto e agora também do tratamento), é possível fazer alguma prevenção?

A resposta é sim! Começando pelo manejo da matriz, que deve ter uma alimentação correta, vacinação e controle de parasitas internos e externos em dia e um local apropriado durante a gestação e para o parto também.

É importante que essa matriz se alimente corretamente, principalmente no terço final da gestação, para conseguir fornecer um colostro de alta qualidade, que auxiliará na imunidade do potro.

O local onde essa mãe irá parir, bem como onde esse potro será mantido também merecem atenção especial. Para começar, deve-se evitar aglomeração de muitos animais no mesmo piquete, introdução de animais no grupo e acúmulo de detritos e fezes. Além disso, deve-se instruir os funcionários a ficarem atentos aos animais para detectarem os menores sinais de doença, para que não haja propagação entre os cavalos.

E se mesmo com essas dicas o seu potro apresentar algum sinal de infecção, acione rapidamente seu Veterinário, pois nessa situação o tempo é fundamental! (Artigo publicado na edição 63 da Revista Horse)

Revista Horse
David Filho

David Filho

Médico veterinário, formado pela Universidade Estadual de Londrina, atuando em Clínica geral de equinos. Habilitado pelo MAPA para emissão de GTA, habilitado pela FPH para microchipagem. 
E-mail: [email protected]

Deixe seu Recado