16-Mar-2021 18:24 - Atualizado em 16/03/2021 18:42
Concurso Completo

Nilson da Silva garante novo índice

Cavaleiro está tecnicamente qualificado e busca uma vaga no Time Brasil do Concurso Completo de Equitação para a Olimpíada de Tóquio

horse, 2020, banners,
Horse

nilson moreira leite, cce, Concurso Completo, Tóquio, Tokyo 2020, Divulgação
Nilson Moreira Leite com Rock Phantom em ação no cross country: qualificação garantidaDivulgação
O cavaleiro brasileiro Nilson Moreira da Silva garantiu mais um importante resultado em busca de uma vaga no Time Brasil no Concurso Completo de Equitação (CCE), também considerado um triatlo equestre reunindo as modalidades Adestramento, Cross-country e Salto, nos Jogos Olímpicos de Tóquio. No último final de semana, entre 11 e 14 de março, Nilson, que integrou o Time Brasil no Mundial 2018 e foi reserva na Rio 2016, voltou a garantir índice técnico para os Jogos com Rock Phantom no Red Hills International, na Flórida (EUA).

Candidatos a uma vaga no Time Brasil de Concurso Completo nos Jogos Olímpicos de Tóquio podem registrar índices técnicos entre 1 de janeiro de 2019 e 21 junho de 2021: em um CCI 5*-Longo ou um índice técnico em CCI 4*-Longo e um em CCI4* Curto. Para obter índice técnico é preciso registrar o mínimo de 55% no Adestramento, zerar ou 11 pontos nos obstáculos, não mais que 75 segundos de excesso tempo (100 segundos em CCI5*L) e no salto não mais que 16 pontos perdidos.

Nilson já havia garantido sua qualificação técnica com Rock Phantom em 15/11/2020 no Concurso Completo Internacional CCI4* Longo, em Tryon, na Carolina do Norte (EUA). Dessa vez, no CCI4* Curto em Red Hills, Nilson e Rock Phantom, um irlandês de 10 anos, registraram apenas 31,3 pontos perdidos (pp) no adestramento, 12 pp no salto e zero pontos no cross country fechando em 13º lugar. Montando o experiente Magnum´s Martini, 16 anos, Nilson também voltou a registrar um índice técnico CCI4* Curto em Red Hills com 41,4 pp no adestramento, zero pp no salto e novamente zero no cross country, garantindo a 11ª colocação. Mas com Magnum´s Martini, Nilson ainda precisa confirmar o índice um Internacional 4* ou 5* longo, mesma condição de sua montaria Cash, de 13 anos.

"O Rock Phantom é um cavalo relativamente novo para o Concurso Completo, tem muita qualidade e temos tido excelentes resultados. Ele é o cavalo que pretendo levar nas Olimpíadas se tudo der certo e eu for convocado. Em Red Hills fomos super bem e estou bem feliz com o resultado dele. Devo fazer mais dois Internacionais 4* curtos até a terceira semana de abril e aí esperar um pouco para ver qual será definição. É um cavalo super saudável e realmente eu gostaria de levá-lo para as Olimpíadas pelo fato dele fazer adestramento super bem, o que é muito importante nos Jogos, além de ser muito bom no salto e cross. Estamos evoluindo, trabalhando muito duro e os resultados estão aparecendo", contou Nilson, que também comentou suas expectativas e planejamento com seus outros dois principais cavalos.

"O meu segundo cavalo é o Magnum´s Martini, com o qual fiz o Mundial 2018. Ele é um pouco difícil no adestramento, mas também tem evoluido bastante. A minha intenção com ele agora na primavera aqui nos EUA é levá-lo ao concurso de Kentucky, entre 22 e 25/4, que é uma prova 5*. A razão pela qual quero qualificar ele no 5* estrelas é por ele ser especial para essas provas, realmente muito bom de cross e rápido, além de ter uma saúde tremenda. Ele ainda vai fazer um curto antes de Kentucky. Espero que tudo dê certo, senão acontecer o resultado lá devido a algum problem ainda teremos uma chance em uma competição no estado de Nova Jersey, na segunda semana de maio", explica o cavaleiro.

"Meu terceiro cavalo é o Cash, que já tem um índice e é um cavalo muito bom que tenho usado bastante para me ajudar e como ele faz esse nível vou tentar qualificar ele, uma vez que sempre pode acontecer um problema com um cavalo ou outro. Gostaria muito de qualificá-lo também na segunda semana de maio. Estou fazendo as provas mais baixas com ele até para não forçá-lo muito. Então são três animais cada um com suas qualidades e habilidades e estou trabalhando duro. Estou procurando evoluir para representar bem o Brasil caso eu seja convocado", finalizou.

Brasileiros qualificados

Até o momento, Rafael Losano, em atividade na Inglaterra, Nilson Moreira Leite, radicado nos EUA, Marcio Appel estão tecnicamente qualificados para os Jogos. Marcelo Tosi, atualmente morando no Brasil, com Genfly, Carlos Parro com Goliath e Ruy Fonseca Filho com Ballypatrick SRS tem um índice.

 

Assessoria de imprensa CBH
Deixe seu Recado