06-Ago-2021 15:31 - Atualizado em 07/08/2021 00:09
Horse Tokyo 2020

O SONHO NÃO ACABOU

Em 8º lugar, Time Brasil vai para a final do Salto por equipes com Yuri Mansur/Alfons no lugar de Rodrigo Pessoa/Carlisto’s em situação de igualdade com os adversários

undefined,
s

Rodrigo Pessoa e Carlito
1/11 Rodrigo Pessoa e Carlito's, na pista de Equestre Park: experiência para conduzir o animal até o finalLuis Ruas/CBH
Marlo Zanotelli,  com GDL Edgar: concentração antes do início da prova zerada, Rodrigo Pessoa,  Carlisto
2/11 Marlo Zanotelli, com GDL Edgar: concentração antes do início da prova zeradaLuis Ruas/CBH
Marloz Zanotelli e Edgar,  foram os primeiro brasileiros a entrar: pista limpa, Rodrigo Pessoa,  Carlisto
3/11 Marloz Zanotelli e Edgar, foram os primeiro brasileiros a entrar: pista limpaLuis Ruas/CBH
O chefe de equipe Pedro Paulo com o técnico Philippe Guerdat: estratégia dando certo, Rodrigo Pessoa,  Carlisto
4/11 O chefe de equipe Pedro Paulo com o técnico Philippe Guerdat: estratégia dando certoLuis Ruas/CBH
Marlon e VDL Edgar abriram a rodada do Time Brasil de Salto com louvor, Rodrigo Pessoa,  Carlisto
5/11 Marlon e VDL Edgar abriram a rodada do Time Brasil de Salto com louvorLuis Ruas/CBH
Rodrigo Carlito
6/11 Rodrigo Carlito's tentando saber o que estava saindo erradoLuis Ruas/CBH
Marlon Zanotelli e Edgar fizeram o único zero do Time Brasil, Rodrigo Pessoa,  Carlisto
7/11 Marlon Zanotelli e Edgar fizeram o único zero do Time BrasilLuis Ruas/CBH
Pedro Veniss e Quabri de L
8/11 Pedro Veniss e Quabri de L'Isle: experiência e potencia para ajudar na finalLuis Ruas/CBH
Rodrigo Pessoa,  Carlisto
9/11 Luis Ruas/CBH
Rodrigo Pessoa,  Carlisto
10/11 Luis Ruas/CBH
Rodrigo Pessoa,  Carlisto
11/11 Luis Ruas/CBH
Rodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, CarlistoRodrigo Pessoa, Carlisto

final equipes, individual, salto , tokyo 2021, 2021, imprensa,
Final equipes
Na classificatória do Salto por equipe da Tóquio 2020, realizada na noite de sexta-feira (6/8), no Equestrian Park, a boa performance dos cavaleiros Marlon Zanotelli/Edgar, com pista zerada, e Pedro Veniss/Quabri de L’Isle, como cinco pontos perdidos (pp),  contrastou com a apresentação de Rodrigo Pessoa/Carlito’s Way, com 20 pp. O fato é que se tudo pareceu dar errado para o recordista com sete participações olímpicas, tudo deu certo para o Time Brasil, que acabou classificado na 8ª posição e está na briga por medalha, em situação de igualdade com os adversários. A decisão será na manhã deste sábado (7/8), às 7h, com 10 equipes disputando os pódios sob as novas regras do hipismo, que permite que o conjunto Yuri Mansur/Alfons Santo Antonio substitua Rodrigo/Carlito’s.

Com toda a estratégia do Time focada na disputa por equipes, o Brasil começou bem. 15ª a entrar em pista,  Marlon Zanotelli/Edgar fechou sua passada com pista limpa, e tempo de 81s37, colocando o Brasil, ao lado da Suécia, como os únicos dos 19 países participantes a concluir a primeira volta com penalidade zero. “A gente sabia o que tinha de fazer lá dentro, o Edgar está em plena forma e foi muito bem. Estou muito feliz com o resultado, mas é só o primeiro passo. Vamos torcer que a gente passe pra amanhã, os meninos estão bem e acredito que a gente passe”, falou Zanotelli à Horse, logo após a prova, na Zona Mista do Equestrian Park.

                O conjunto Pedro Veniss/Quabri de L´Isle também fez boa prova, com uma falta cometida e um ponto de penalização por excesso de tempo, fechando o percurso montado pelo espanhol Santiago Varella com o tempo de 82,96. “Talvez tenha forçado um pouquinho no final do percurso, a gente tentou não forçar muito hoje. Estou contente com o resultado e amanhã fazer uma apresentação melhor”, disse o cavaleiro, confiante na classificação do Brasil.

                Veniss destacou também que a ansiedade pelo tempo de espera para entrar em pista foi grande, mas que isso fez parte da estratégia adotada pelo Time Brasil. “Eu e o Rodrigo usamos essa estratégia de jogar todas as fichas na prova de Equipe, poupar os cavalos para a prova do Brasil mesmo”, afirmou Veniss, que traz uma longa experiência em competições internacionais, tendo participado das Olimpíadas do Rio de Janeiro e do Ouro por equipe no Pan-Americano de 2019 no Peru, entre outras.

“Vou trazer a minha roupa, porque a gente vai brigar por medalha. Hoje bateu na trave, mas entrou no gol”, Rodrigo Pessoa  

           Último conjunto brasileiro a entrar na pista, 53º na Ordem de Entrada, Rodrigo Pessoa/Carlito´s Way não teve uma apresentação das mais felizes. Carlito’s estranhou os obstáculos da arena onde chegou a fazer algumas ambientações. Logo no início, Rodrigo percebeu que sua montaria não estava nos melhores dias e tentou mostrar que não havia nada de muito diferente. Não adiantou. Carlito’s chegou a refugar duas vezes e foi preciso muita habilidade do experiente cavaleiro brasileiro, medalha de Ouro em Antenas, 2004, para concluir a prova e evitar uma eliminação, que tiraria o Brasil da disputa por medalha. “O cavalo estava realmente muito tenso e quando entrou eu queria mostrar o muro, que foi um obstáculo que deu problemas à noite, para tentar dar um pouquinho de confiança”, explicou Rodrigo à reportagem da Revista Horse, na Zona Mista, após deixar a prova e passar ainda mais uns 20 minutos com o cavalo em uma das pistas de treinamento, fazendo um trabalho de relaxamento.

O cavaleiro brasileiro, que abriu mão de disputar o pódio Individual dentro de uma estratégia adotada pela equipe, disse que realmente se esforçou para conduzir Carlito’s até o final, evitando que todo o trabalho de preparação viesse abaixo. “Experiência nesse momento conta. Na minha cabeça era levar o cavalo até o final, porque era isso ou a eliminação da equipe. Demos sorte" , comentou, revelando que está fora da disputa final de sábado, às 7 da manhã no Brasil e às 19h em Tóquio, dando lugar ao conjunto reserva Yuri Mansur/Alfons Santo Antonio. “Essa fórmula mesmo, que a gente não gosta dela, acha injusta, hoje foi para o nosso lado, porque com dois/três times eliminados criou uma margem muito grande pelas boas provas do Pedro e do Marlon e demos sorte de poder passar”, disse, reafirmando que não gosta das novas regras, que não permite o descarte. “Amanhã é um dia novo e para mim acaba aqui”, confirmou.

Rodrigo afirmou, entretanto, que vai estar junto com a equipe, que vai para a final em situação de igualdade com os adversários.“Vou trazer a minha roupa, porque a gente vai brigar por medalha. Hoje bateu na trave, mas entrou no gol”, disse.

Rodrigo também comentou com a Horse a conversa que teve com o técnico Philippe Guerdat, que saiu do posto técnico consolado pelo cavaleiro Pedro Veniss. “Pedi desculpas por esse apresentação, que não foi realmente boa, mas ele disse: não, ao contrário, porque você conseguiu levar o cavalo até o final e temos de levar isso pelo ponto positivo”, disse.

Veja, abaixo, a íntegra da entrevista concedida à reportagem da Revista Horse, na Zona Mista, na saída da pista.:


Revista Horse - Fotos:Luis Ruas/CBH
Deixe seu Recado