04-Ago-2019 11:25 - Atualizado em 05/08/2019 09:07
ESPECIAL PAN 2019

O vôo de Ruy Fonseca

Veja como foi a queda com Ballypatrick na prova de cross do CCE. Cavaleiro sofreu fraturas e vai passar por cirurgia, mas passa bem. O cavalo também

pan de lima 2019, 2019, imprensa,
PAN DE LIMA 2019

ruy fonseca, cross-country, cce, pan de lima 2019, 2019, imprensa,
Ruy Fonseca

pan de lima 2019, 2019, imprensa,
PAN DE LIMA 2019
A queda do cavaleiro Ruy Fonseca com Ballypatrick durante a prova de cross-crountry do CCE (Concurso Completo de Equitação) do Pan 2019, na tarde de sábado (3/8), em Lima, Peru, ganhou grande repercussão mundial nos veículos de imprensa . Algumas fotos e informações publicadas sugerem que o cavalo caiu sobre o cavaleiro, o que de fato não ocorreu. A reportagem da Revista Horse, que acompanhava a prova ao lado dos obstáculos do lago, registrou toda a sequência do tombo (Veja abaixo). Espetacular e assustador, sim, mas sem consequências mais graves. Faz parte desse tipo de esporte.

O tombo ocorreu no obstáculo 7, logo após a saída do lago Titicaca (6C), que tinha duas opções. Ruy foi pelo caminho mais curto, em vez de fazer a volta. Com apenas cerca de 3 metros entre o 6C e o 7, o cavalo bateu com as pernas na madeira, desequilibrando e projetando o cavaleiro. Ballypatrick rodou no ar e caiu de costas no chão, rolando sobre o cavaleiro, que também já estava no solo. Após alguns segundos, o cavalo se levantou e foi segura pela equipe, enquanto Ruy Fonseca era prontamente atendido pela equipe de emergência.

Deitado, mas consciente, Ruy informou que havia batido com o ombro no chão e que estava bem. Já no Hospital, foi diagnosticada fratura do úmero proximal do braço esquerdo, com recomendação cirúrgica pela junta médica do Confederação Olímpica Brasileira (COB), liderada por doutor Roberto Nahon. Os exames também apontaram fratura em três costelas, o que fez com que fosse decidido por deixar o cavaleiro em observação no hospital.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de hipismo (CBH), a cirurgia no ombro deve ser feita o mais rápido possível, porém não é considerada de emergência. “Os médicos aguardam a melhora clínica do atleta para determinar se a mesma será feita em Lima ou no Brasil. O COB está tomando as providências de tratamento e acompanhamento do atleta”, informa a nota.

Do hospital, o cavaleiro Ruy Fonseca fez os primeiros comentários sobre o ocorrido. “Tivemos uma falta de sorte. Fraturei meu ombro esquerdo e algumas costelas. Minha montaria está bem e eu também. Fui muito bem atendido pela equipe médica da organização e o médico do Comitê Olímpico Brasileiro. A nossa equipe fez um ótimo trabalho e eu gostaria de estar com eles amanhã", afirmou.

Busca por medalha

Mesmo sem poder contar com os pontos do conjunto Ruy Fonseca e Billypatrick, que ficaram como descarte, o Time Brasil de CCE concluiu a prova de cross-country com boas apresentações e fechou o dia no segundo lugar. (Veja AQUI)

VEJA A SEQUÊNCIA DE COMO FOI O TOMBO DE RUY FONSECA E BILLYPATRICK

O vôo de Ruy Fonseca
1/10
O vôo de Ruy Fonseca
2/10
O vôo de Ruy Fonseca
3/10
O vôo de Ruy Fonseca
4/10
O vôo de Ruy Fonseca
5/10
O vôo de Ruy Fonseca
6/10
O vôo de Ruy Fonseca
7/10
O vôo de Ruy Fonseca
8/10
O vôo de Ruy Fonseca
9/10
O vôo de Ruy Fonseca
10/10


 

Revista Horse/Fotos Fagner Almeida
Deixe seu Recado