20-Mar-2021 10:46 - Atualizado em 20/03/2021 11:18
Surto de herpes

Para conter herpes EHV-1, FEI já "bloqueou" cerca de 3 mil cavalos

Em nota, Federação Equestre Internacional pede apoio e união de cavaleiros para evitar que o surto de vírus que já matou vários cavalos prolifere em outros países

horse, 2020, banners,
Horse

A Federação Equestre Internacional (FEI), maior entidade equestre do mundo, está empenhada em evitar que o surto do vírus herpes equino EHV-1, que já matou vários cavalos de esporte no continente europeu, continue a fazer novas vítimas. Em boletim divulgado no dia 18 de março, a entidade afirma que já foram "bloqueados" cerca de 4 mil cavalos de seu banco de dados da FEI, situação que deverá ser mantida até que seja negativados em teste de PCR.

A  entidade lembra que várias ações que foram tomadas desde o dia 20 de fevereiro, quando foi identificado o surto, e afirma que as ações de controle devem se estender por mais tempo, razão pela qual o cancelamento de eventos equestres programado até o dia 28 de março foi estendido até 11 de abril, sujeito a reavaliações. No comunicado, a entidade também destaca a importância da colaboração de cavaleiros e proprietários de animais, que devem comunicar a entidade caso seus animais sejam positivados para a doença nos testes de PCR. 

Veja a íntegra do comunicado da Federação Equestre Internacional (FEI)
O recente surto da forma neurológica do vírus do herpes equino (forma neurológica EHV-1) na Europa resultou tragicamente na morte de vários cavalos e muitos ainda estão em tratamento para esta cepa muito agressiva do vírus. Uma morte é demais, e devemos fazer tudo ao nosso alcance para impedir a propagação deste terrível vírus.
Quando a FEI foi notificada pela primeira vez, em 20 de fevereiro, decidimos minimizar a transmissão de EHV-1 rastreando e bloqueando todos os cavalos em contato, mas conforme a gravidade e a disseminação geográfica do surto se tornaram aparentes, tomamos medidas mais duras e fechamos todos os eventos internacionais em todas as disciplinas na Europa continental por quatro semanas até 28 de março.
Em 12 de março, esse bloqueio de eventos internacionais foi estendido para 11 de abril e a FEI instou todas as Federações Nacionais membros a seguir o exemplo em suas competições nacionais e eventos de treinamento.
Estas não foram decisões que tomamos levianamente, e estamos extremamente gratos por todo o apoio que recebemos da comunidade, especialmente porque estamos todos cientes das ramificações que essa paralisação prolongada significa para nosso esporte, nossos membros e partes interessadas. A disposição da comunidade em aceitar e até mesmo dar as boas-vindas ao bloqueio prolongado é um testemunho de nossa dedicação coletiva à segurança e ao bem-estar de nossos cavalos.
Até o momento, bloqueamos quase 4.000 cavalos no banco de dados da FEI, o que significa que eles devem ser mantidos isolados e um teste PCR negativo deverá ser fornecido antes de serem desbloqueados e liberados para competição.
Embora o EHV-1 seja endêmico em muitos países, o surto atual da forma neurológica é o pior que vimos em décadas e testou claramente nossos processos de biossegurança e nossa resiliência. Ninguém quer ver um surto como este nunca mais. E continuaremos monitorando surtos de EHV-1 por meio do Grupo de Trabalho de Epidemiologia Veterinária da FEI, composto por especialistas em EHV líderes mundiais, membros da equipe Veterinária da FEI e apoiado pelo Presidente do Comitê Veterinário da FEI. A comunicação é crucial ao lidar com um surto, e manteremos a comunidade informada sobre as descobertas do Grupo de Trabalho com um relatório semanal e recomendações publicadas no hub FEI EHV-1 onde estivemos e continuamos a postar todas as nossas últimas atualizações e informações .
Também é muito importante que recebamos todas as informações corretas para nossas avaliações e decisões de risco. Para isso, precisamos do seu apoio. Ao nos informar sobre os resultados positivos do teste de EHV-1 e cavalos doentes, você contribui com nossos esforços combinados para garantir um retorno seguro à competição em 12 de abril de 2021. Envie-nos esta informação, incluindo o resultado positivo da PCR, para [email protected] Garanto o anonimato para você e seu cavalo.
Entendemos que a situação atual está criando muitas incertezas e preocupações em nossa comunidade. O surto atual ainda é um problema e todos devemos fazer parte da solução. Cada uma de nossas ações reduzirá a gravidade e a duração desse surto e possibilitará um reinício seguro da competição.
Haverá uma investigação abrangente e totalmente transparente sobre cada aspecto desse surto e a maneira como ele foi tratado, e colocaremos em prática protocolos aprimorados para permitir um retorno seguro ao jogo assim que o vírus estiver sob controle.
A resposta a esta crise refletiu claramente o verdadeiro espírito comunitário pelo qual o mundo equestre é conhecido, e vimos membros da comunidade se reunirem e fornecerem níveis incríveis de apoio. Devemos continuar trabalhando juntos para manter nossos cavalos seguros.

Site FEI
Deixe seu Recado