12-Jul-2016 14:17 - Atualizado em 12/07/2016 15:27

Para que serve o contra-galope?

O contra-galope é um movimento onde o cavalo galopa no pé externo, posicionando-se para o lado do pé do galope. Como exemplo, o cavaleiro conduz o seu cavalo ao galope no pé direito, sobre um círculo à mão esquerda.

Há cinco razões básicas para o ensino do contra-galope: retidão, equilíbrio, força, agilidade e flexibilidade. Além disso, é um excelente precursor para o ensino das mudanças de pés.

Como sempre, devemos estar atentos para saber se o cavalo está apto e com os pré-requisitos necessários para iniciar o treinamento do contra-galope. É preciso que ele tenha tido uma boa base, que tenha regularidade e ritmo, que saiba conservar a cadência a ponto de conseguir sustentar-se equilibrado, sem linhas retas e curvas, e que as transições para o galope estejam limpas e ativas. É bom lembrar que todas as condições citadas acima estão intimamente ligadas à qualidade do contato e do assento.

artigo, editor,
Figura 1
Após pedir a partida ao galope de trabalho, usa-se o canto seguinte da parede longa da pista ou picadeiro para cruzá-la em diagonal. Mantenha o cavalo na mesma mão de galope, sem mudá-la, e siga até o canto fazendo uma volta suavemente arredondada (fig.1).  Nessa figura você está galopando à direita, cruza a pista na diagonal, continua o galope à direita, passa pelo canto e novamente cruza a diagonal retomando o galope na mão certa. 

Usar a rédea de fora juntamente com a perna de fora, colocando mais pressão no osso do assento de fora para auxiliar o cavalo e segurar o posterior de fora.  Após fazer um ou dois cantos faça a transição decrescente e o agrade. No início trabalhe apenas com semi-círculos, lembrando que cada novo aprendizado deve ser introduzido de maneira gradual e com pouco exigência.

Caso o cavalo aumente o ritmo ou sinta-se desequilibrado, e não execute o exercício corretamente, pare, faça uma nova transição ao galope e tente novamente. É muito provável que ele não sinta muita dificuldade se ele tiver sido preparado como descrito acima. É importante lembrar que galope reunido já tenha sido confirmado. Nunca force o seu cavalo na realização de um exercício, pois se ele não está conseguindo executá-lo, isto sinaliza que não foi preparado suficientemente. Se isso acontecer, volte a trabalhar a qualidade do galope reunido e depois convide seu cavalo novamente. Tenha em mente que o contra-galope exige que o cavalo se auto-sustente bem no galope.

É muito importante que você tenha uma posição correta para este exercício. Isso tanto poderá dificultar como facilitar para o cavalo carregar o seu peso e, acredite, um ótimo cavalo poderá sair fracassado de uma aula se for montado com um assento duro e rígido.

artigo, editor,
Figura 2
A perna de dentro deverá lembrar o cavalo sobre a encurvação e dar impulsão, enquanto a perna de fora vai mantê-lo na direção controlando o posterior de fora. O cavalo tem que honrar essa perna. Os ombros devem estar alinhados com as espáduas do cavalo. A rédea interna deverá estar ligeiramente superior à externa e essa, por sua vez, reforçará a ajuda da perna, mas também vai lembrar o cavalo de manter-se na moldura. A direção do olhar também faz-se importante e deverão seguir na direção da linha para onde se vai. Ao olhar para onde você vai, seu corpo mantém o alinhamento correto. O contra-galope exige do cavaleiro uma condução hábil e refinada para que possa equilibrar o cavalo entre suas mãos e pernas.do o cavalo for capaz de manter-se no contra-galope, com ritmo e descontração, através do semi-círculo, assegurando que ele esteja confortável,  então você poderá avançar para o exercício da serpentina (fig.2). Lembre-se de usar os seus olhos.

Nessa fase é comum o cavalo oferecer uma mudança de pé. Caso isso aconteça você poderá usar as ajudas de maneira um pouco mais realçadas a fim de deixar claro o que você quer, por exemplo, ampliando o peso do seu quadril de dentro (em relação à encurvatura). Não sinta ansiedade em conseguir a mudança de pé, mas procure confirmar com solidez e consistência cada novo exercício proposto. É importante que o cavalo aprenda a esperar os seus pedidos e não antecipá-los.

O contra-galope é um exercício evidentemente útil uma vez que desenvolve a "vivacidade" dos posteriores, contribuindo para a promoção do equilíbrio, da força, da elasticidade, da agilidade, da flexibilidade, podendo ser considerado como uma base para os exercícios de mudança de pé e outros movimentos futuros do galope.

Ndzinji Pontes

Ndzinji Pontes

Cavaleiro angolano radicado no Brasil, titular da Coudelaria Função em Ibiúna, SP, é um dos mais respeitados treinadores de adestramento do Brasil, recebendo em seu centro de treinamento os mais importantes cavalos da modalidade no Brasil.

Deixe seu Recado