29-Nov-2017 15:12 - Atualizado em 07/12/2017 09:52
Três Tambores

Paratletas rompem barreiras

2ª Etapa do I Campeonato Paraesportivo de Três Tambores da América Latina bate recorde de inscritos no Clube de Campo da Cidade de São Paulo

, ,
1/39
, ,
2/39
, ,
3/39
, ,
4/39
, ,
5/39
, ,
6/39
, ,
7/39
, ,
8/39
, ,
9/39
, ,
10/39
, ,
11/39
, ,
12/39
, ,
13/39
, ,
14/39
, ,
15/39
, ,
16/39
, ,
17/39
, ,
18/39
, ,
19/39
, ,
20/39
, ,
21/39
, ,
22/39
, ,
23/39
, ,
24/39
, ,
25/39
, ,
26/39
, ,
27/39
, ,
28/39
, ,
29/39
, ,
30/39
, ,
31/39
, ,
32/39
, ,
33/39
, ,
34/39
, ,
35/39
, ,
36/39
, ,
37/39
, ,
38/39
, ,
39/39

A pista hípica do Clube de Campo da Cidade de São Paulo recebeu, no último domingo (26/11), paratletas da modalidade de Três Tambores para a 2ª Etapa do I Campeonato Paraesportivo de Três Tambores da América Latina. Sob a organização da Equoterapia Walking e colaboração dos Centros de Equoterapia Texas Ranch, Trote Mágico, Hípica Santa Terezinha, Projeto Liberdade, Centro Hípico Paineiras e Vila Hípica WS, o projeto de inclusão social para paratletas idealizado em conjunto com a NBHA Brazil, bateu recordes de inscrição e público.

A prova comprovou, mais um vez, que a nova categoria paraesportiva da modalidade de Três Tambores está causando frisson pelos lugares aonde vem sendo realizada. Além de envolver todos com o universo mágico que remete à lembrança da vida sertaneja do inicio do Brasil, deixa a categoria mais emocionante, pois promove a inclusão de pessoas com deficiência física.

Segundo Abelardo Peixoto, presidente NBHA Brazil e um dos grandes fomentadores do esporte de Três Tambores e Seis Balizas no Brasil, a criação dessa nova categoria surgiu com a partir da preocupação em desenvolver um trabalho dentro das modalidades, que permitisse que o esporte chegassea todos e pudesse ser praticado por todos. “Hoje, o meu sonho é ver o esporte de Três Tambores tornando-se o esporte regional de cada cidade e estado desse país, mas para isso o esporte precisa abraçar a comunidade. Para isso, precisamos fazer a inclusão social, trazendo pessoas que antes jamais imaginariam praticar ou ver seus filhos praticando o esporte. É exatamente isso que a categoria paraesportiva de Três Tambores vem fazendo, ajudando de maneira que através do esporte todos os praticantes e seus familiares, possam superar seus próprios limites ou os limites que acham que seus filhos possuem, tudo isso graças a força e a sensibilidade que o cavalo têm em sua essência. Os paratletas e seus familiares estão aprendendo a ter independência e a confiar nos cuidados de outras pessoas, isso é fomentar o esporte e o objetivo NBHA Brasil”, destaca.

Com clima muito agradável de Sol na medida certa e ar fresco, os paratletas mostraram disposição em todas as categorias. As provas transcorreram de forma tranquila e cheias de fortes emoções. A cada passada de um dos paratletas era possível notar a satisfação de trabalho bem feito das equipes dos Centros Hípicos envolvidos e do orgulho das famílias, que viam os limites sendo quebrados pelos seus filhos.

As disputas foram acirradas e sem prediletos ao título. A cada um que rompia a fotocélula, a vibração tomava conta da torcida. A sensação era de que todos são competidores são campeões, escrevendo uma nova história da modalidade de Três Tambores, que irá contar como inclusão social muda a direção de qualquer pessoa para uma vida digna, onde barreiras podem ser quebradas sempre.

Quem perdeu esse espetáculo ainda terá mais duas chances de poder acompanhar de pertinho tudo isso e sentir essa emoção, pois o campeonato contará com mais duas etapas que serão realizadas nos dias 25/02/18 no Centro Hípico Paineiras (3º Etapa) e 29/04/18 na Hípica Santa Terezinha (4ª Etapa).

Mais informações www.nbhabrazil.com.br

 

Por Ana Olivera/Fotos Filipe Leal
Deixe seu Recado