19-Nov-2019 16:14 - Atualizado em 20/11/2019 10:47
CCE

Rafael Losano, com Fuiloda G, garante Time Brasil em Tóquio 2020

Cavaleiro de CCE obteve seu segundo índice técnico individual e o terceiro dos brasileiros, confirmando a qualificação da equipe à Olimpíada

banners,
Banners

rafael losano, cce, pan de lima 2019,Tóquio, Olimpíada, equestre, Fagner Almeida/Revista Horse
Rafael Losano, com Fiuloda G: destaque do Pan rumo à TóquioFagner Almeida/Revista Horse
O cavaleiro brasileiro Rafael Losano, montando a égua Fuiloda G, conseguiu, no domingo (17/11), seu segundo índice individual no Concurso Completo de Equitação (CCE) para disputar a Olimpíada de Tóquio 2020, na prova realizada em Pratoni del Vivaro, na Itália. Com isso, somou-se a outros dois cavaleiros já qualificado com índices técnicos (Márcio Jorge e Marcelo Tosi) e garantiu a participação do Time Brasil da modalidade na Olimpíada do Japão.

O Time Brasil, entretanto, ainda será definido pela comissão técnica da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), já que tem prazo até junho de 2020 para outros cavaleiros buscarem os índices. Os candidatos a vaga no Time Brasil de CCE em Toquio precisam ter índices em um 5* ou dois em 4* curto e longo. Com a nova configuração da Federação Equestre internacional, as equipes do hipismo na Olimpíada passarão a ter três integrantes cada e um reserva (antes eram 4 titulares e um reserva) e na competição em todas as modalidades não haverá mais a possibilidade do descarte de um dos resultados.

O cavaleiro olímpico Marcio Jorge, com Coronel, abriu o processo de qualificação olímpica com seu resultado nos Jogos Equestres Mundiais 2018, em evento 5 estrelas. O cavaleiro olímpico Marcelo Tosi, com Genfly, também já havia garantido índice no Internacional 5 estrelas em Kentucky, neste ano. O Brasil precisa de pelo menos mais um índice, para completar três conjuntos qualificados e confirmar a vaga conquistada com a medalha de Prata no Pan-americano de Lima no Peru. 

O jovem Rafael Losano, de apenas 21 anos, também integrou a equipe Prata do Brasil no Pan de Lima, realizada em agosto de 2019. Depois disso, computou seu primeiro índice na Itália há duas semanas (veja aqui) em um Internacional 4* formato Curto e, neste domingo, 17, no Internacional 4* formato Longo em Pratoni del Vivaro, na região de Roma.  

O cavaleiro olímpico Carlos Parro, o Cacá, integrante da equipe medalha de Prata e Bronze individual em Lima, também já tinha um índice em um 4 estrelas longo após sua conquista no Pan. De volta à sela após uma lesão no quadril, Cacá também participou da prova em Pratoni del Vivaro, mas acabou ficando de fora. Fez um percurso limpo no Cross seu cavalo Calcourt Landline, que acabou apresentando uma lesão, provavelmente em decorrência de um tropeço. O cavaleiro Nilson Moreira da Silva, com Rock Phantom, também buscava seu 2º índice no final de semana no Internacional 4* em Ocala (EUA). Com boas atuações no Adestramento e percurso limpo no Cross, Nilson ficou de fora da decisiva prova de salto também por um problema veterinário de sua montaria.

A equipe brasileira de CCE será definida pelo técnico Ademir Oliveira, e a chefe de equipe Julie Purgly, que estiveram à frente da bem sucedida campanha em Lima 2019, quando conquistaram a medalha de Prata por equipe e o Bronze individual com Cacá Parro. Ele aguardam que outros cavaleiros possam obter os índices individuais (de janeiro a junho de 2020) para definir que representará o Time Brasil em Tóquio 2020. 

CBH/RevistaHorse - Fotos Fagner Almeida
Deixe seu Recado