26-Out-2016 00:00 - Atualizado em 25/06/2019 10:40
Carta ao leitor

Sinal de Alerta

banners,
Banners

Sinal de alerta

Já não é de hoje que a questão do bem-estar animal vem suscitando calorosas discussões entre os praticantes de atividades equestres e os militantes das causas de “proteção aos animais”. Já não é de hoje, também, que a Horse vem alertando sobre a necessidade de uma mobilização do segmento, cujo potencial e grandeza são subestimados por setores por setores da sociedade e governo. Vale lembrar o problema com o Mormo, que mantém o mercado internacional fechado para exportação de animais até hoje.

A proposta de mobilização agora ganhou nova dimensão, após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), no início de outubro, de proibir a regulamentação da Vaquejada como esporte no Ceará. Embora a medida se restrinja à Vaquejada, teme-se que vire jurisprudência para outras modalidades esportivas com cavalos, o que causaria um grande impacto em todo o segmento.

Como a decisão é da Corte máxima, não cabe mais recurso. A alternativa seria uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), já cogitada por lideranças e políticos. O processo, no entanto, é demorado. O que parece mais producente, no momento, é evitar que a decisão do STF se estenda a outras atividades esportivas equestres, como planeja a militância desinformada.

Há realmente, como a Horse já alertou em diversas outras ocasiões, uma grande distância de entendimento entre as pessoas ligadas às atividades equestres com a militância de grupos que se dizem “contra a violência”. Faltam-lhes, essencialmente, as informações necessárias para formar conceitos e a sensibilidade de entender tudo o que está em torno das atividades com cavalos, sejam elas de esporte, lazer ou trabalho. Sobram-lhes preconceito, arrogância e militância política, quase sempre atreladas a leituras precipitadas e generalizadas.

Já estava mais do que em tempo de o segmento equestre nacional, um braço forte do nosso agronegócio, mostrar o quanto evoluiu e contribui com o desenvolvimento econômico brasileiro.  O Brasil tem o terceiro maior rebanho de equídeos do mundo, com um plantel de cavalos de esporte que está cada vez mais em evidência internacional. E isso não ocorreu por acaso.

É evidente que a questão do bem-estar dos cavalos preocupa, razão pela qual é uma das pilastras da linha editorial da Horse. Não obstante, várias ações estão sendo desenvolvidas para encontrar a melhorar forma de trabalhar os animais.  O Projeto Sela Verde, a Cavalgada do Bem-Estar e o Regulamento de Bem-Estar Animal em Competições da ABQM, entre outros, são alguns dos exemplos de como esse tipo de precaução vem se desenvolvendo na prática.

O caminho do aprimoramento é longo e contínuo, mas não precisa de imposições externas e extremas, sem a devida interação e discussão com seus protagonistas. O segmento pode cuidar de seu próprio rabo, contendo os excessos e punindo os abusos. Essa é a mobilização que se faz necessária. Antes que seja tarde!

Revista Horse
Deixe seu Recado