02-Ago-2021 02:02 - Atualizado em 02/08/2021 03:49
Horse Tokyo 2020

Time Brasil vai com apenas dois conjuntos à final do Salto do CCE

Marcelo Tosi, melhor brasileiro do CCE na Toquio 2020, poupa o PSI Glenfly e também fica fora da final do Salto. Veja os motivos das mudanças

undefined,
d

mario appel, cross, cce, tokyo 2021, Iberon Jmen, Luis Ruas
Marcio Appel: oportunidade para a despedida de Iberon Jmen em uma olimpíadaLuis Ruas
As coisas realmente não andaram bem para o Time Brasil de Concurso Completo de Equitação (CCE) na Tóquio 2020. Depois de perder 200 pontos com a desistência de Rafael Losano/ Fuiloda G na prova de Cross-Country, na manhã de domingo de Tóquio, o cavaleiro Marcelo Tosi, melhor brasileiro colocado até o momento, também resolveu tirar Glenfly da etapa final do Salto, por razões veterinárias. O cavalo nem chegou a passar na “Inspeção dos Cavalos”, realizada na manhã desta segunda-feira (2/7), no Equestrian Park. Com isso, vão para a pista na tarde desta segunda-feira de Tóquio, a partir das 17h (5h da manhã no Brasil), apenas o conjunto alternativo Marcio Appel/Iberon Jmen e Carlos Parro/Goliath.  

Com apenas dois conjuntos na prova de Salto, o Time Brasil, que terminou o Cross 12º lugar entre as equipes, vai brigar contra as últimas posições, já com 455.20 pontos perdidos. Já estava com 335.2 pp ao final da prova de Cross. Coma desistência da Rafael Losano de não participar do Salto, perde mais 100 pontos, e mais 20 por conta da desistência de Marcelo Tosi.

Segundo apurou, o cavalo Glenfly, um Puro Sangue Inglês de 16 anos, perdeu uma das ferraduras e acabou sentido a prova. Tosi resolveu nem apresentá-lo à “Inspeção do Cavalos”, novo nome dado pela modalidade de CCE à “Inspeção Veterinária”. Dessa forma, Marcio Appel que seria o substituto de Rafael Losano, passa efetivamente a ocupar o lugar de Marcelo Tosi.

O cavaleiro Marcio Appel lamentou a sucessão de problemas veterinários ocorridos com os colegas de equipe, que tirou dois conjuntos do jogo e as chances de o Brasil buscar, pelo menos, uma melhor colocação na classificação geral. Por outro lado, quer aproveitar a chance de colocar Iberon Jmen em pista para marcar a sua despedida das provas. “È um companheiro que me deu muitas alegrias e a oportunidade de viver momentos especiais, mas chegou a hora de aposentá-lo”, disse, destacando que o fato de a despedida ser em uma olimpíada enobrece ainda mais sua trajetória esportiva.

Revista Horse/Fotos Luis Ruas
Deixe seu Recado