02-Mar-2021 14:32 - Atualizado em 02/03/2021 15:03
Sanidade animal

Vírus equino mata e leva pânico ao mundo equestre europeu

FEI considera o surto de EHV-1 como o mais sério das últimas décadas e cancelou eventos hípicos em 10 países no continente europeu até 28 de março de 2021

horse, 2020, banners,
Horse

Um surto de Herpes Vírus (EHV-1) detectado em Valência, na Espanha, vem se espalhando por várias regiões da Europa, matando cavalos e levando pânico entre criadores, proprietários e profissionais que atuam no universo equestre. A preocupação já mobilizou até a Federação Equestre Internacional (FEI), que divulgou comunicado atestando que esse surto de EHV-1 pode ser um dos mais sérios e preocupante das últimas décadas na Europa. Por essa razão, a FEI cancelou eventos internacionais de todas as modalidades de sua grade em 10 países no continente europeu com efeito imediato e até 28 de março de 2021.
O vírus foi descoberto durante o Mediterranean Equestrian Tour III de Valência, realizado há cerca de 10 dias. Na ocasião, dos cerca de 752 cavalos inicialmente inscritos para o evento, 200 foram detectados com o vírus. Em carta aberta publicada ontem (1/3), a FEI informa que o Departamento Veterinário da entidade coordena as ações e medidas de combate ao vírus, em cooperação com a Federação Nacional Espanhola e apoio de outras Federações Equestres da Europa, tais como Alemanha e França.
Até o final da semana passada, quatro cavalos já haviam morrido devido a doença, sendo que outros 84 apresentam os sintomas clínicos, passando por tratamento no local. Outros 11 animais foram levados para clínicas externas de Valência e Barcelona. Além dos médicos veterinários que atuavam no evento de Valência, o atendimento contou com ajuda de outros 21 profissionais, inclusive de outros países.
Conforme informa a FEI, o EHV-1 é particularmente agressivo e avança rapidamente, tendo sido confirmados surtos também na França, Bélgica e Alemanha. Possivelmente a contaminação se deu pelo contato com os animais doentes de Valência.
A FEI informou ainda que a prioridade é o combate ao surto atual e minimizar o risco de transmissão. A Federação diz que utilizará os dados recolhidos até agora para avaliar a eficácia da vacina EHV-1, analisando quais dos 752 cavalos que participaram no Mediterranean Equestrian Tour III em Valência e que estavam vacinados, apresentaram sintomas, estavam assintomáticos e quais os que morreram.

Eventos cancelados

Em virtude da situação crítica que a Europa vem passando por conta do vírus, a FEI decidiu cancelar eventos hípicos que estavam previstos para acontecer durante o mês de março em 10 países europeus. A medida se aplica a todas modalidades equestres, sendo que a exceção fica para os Concursos de Salto previstos para acontecerem na Península Ibéria, Itália e Bélgica.
A FEI autorizou a realização dos referidos circuitos desde que sejam em “bolhas individuais”, sob condição de que absolutamente nenhum cavalo de fora seja autorizado a ingressar no recinto de competição bem como não se confirmem casos de EHV-1.
Os animais só poderão deixar os locais de competição com certificados de saúde oficiais das autoridades veterinárias locais. Qualquer cavalo que deixar o recinto sem essa documentação será bloqueado na base de dados da FEI. A França também já cancelou seus eventos hípicos para reduzir a possibilidade de disseminação do vírus.
Segundo a secretária geral da FEI, Sabrina Ibáñez, a decisão de proibir a realização de eventos hípicos na Euroa não foi fácil. “O surto da EHV-1 é provavelmente o mais sério que tivemos na Europa em muitas décadas e nossa decisão se baseia em fatores de risco claramente identificados”.

Revista Horse
Deixe seu Recado