Tire suas Dúvidas

Envie sua pergunta

Existem campos que requerem sua atenção!
Enviando...
Enviada com sucesso !!! Obrigado por enviar sua pergunta. Em breve enviaremos uma resposta.

Resposta

Meu cavalo tem cólicas muito fortes. Gostaria de saber se existe algum método fitoterápico para ajudá-lo?

Danilo Arantes
Pirapora do Bom Jesus / SP
12 de Julho de 2016 - 11:21

As causas de cólicas dos cavalos são milhares, mas são fundamentais para que se estabeleça qualquer tipo de tratamento. Muitas vezes cólicas frequentes estão associadas a manejo, isto é na forma que o alimento é oferecido ao animal, tipo de ração, horários e etc. Outras vezes associadas a problemas renais, parasitas, fígado e até problemas psicológicos. Chupar ar nas cocheiras e outros comportamentos anômalos podem ser fatores que levam a cólicas.

Enfim, para optar por um medicamento devemos encontrar a causa,  e só depois definir se o problema poderá ser corrigido com medicamentos, com alguna terapia alternativa ou com ajustes de manejo. O método fitoterápico nada mais é do que utilizar um tratamento medicamentoso a base de plantas. Existe uma ideia de que a fitoterapia, por ser natural, poderá gerar resultados melhores do que outros medicamentos. Na verdade a fitoterapia usa princípios ativos de plantas que podem ser eficientes para muitos sintomas, que os medicamentos do mercado ainda não tem bons resultados, mas ela continua sendo dependente de encontrar a causa do aparecimento deles para fazer a escolha da planta.

Cada terapia tem uma particularidade, a homeopatia tem soluções para problemas psicológicos e de comportamento com melhores resultados do que os fitoterápicos e os medicamentos convencionais, mas também são dependentes da causa e podem gerar agravamentos quando não são bem utilizadas.

O importante é tratar a causa da cólica. Aconselho a buscar um veterinário de sua confiança e definir com ele o melhor tratamento para seu cavalo. Sempre é bom lembrar que o trabalho preventivo é mais importante que o curativo para animais com cólicas frequentes.

Flavia Borba
é médica veterinária

Voltar