Tire suas Dúvidas

Envie sua pergunta

Existem campos que requerem sua atenção!
Enviando...
Enviada com sucesso !!! Obrigado por enviar sua pergunta. Em breve enviaremos uma resposta.

Resposta

Meu cavalo tem coceira no rosto e pescoço. Chega a morder e tirar os pelos e ou coca a cabeça onde é possível. O que faço?

Paulo Demitto
Maringá (PR)
27 de Junho de 2020

Horse

As afecções dermatológicas que levam ao prurido intenso em equinos são diversas e variam de uma simples dermatite de contato por algum produto ou planta ao qual o cavalo pode ser alérgico, uma dermatofilose (infecção fúngica da pele),  algum problema psicogênico (de fundo psicológico) em animais que ficam muito presos a até uma possível sarna, que, apesar de rara em equinos, ainda assim é possível.

O primeiro passo para descobrir geralmente se baseia na análise do histórico da doença e do manejo ao qual o cavalo é submetido. Para os casos de dermatite alérgica, deve-se investigar a presença de ectoparasitas como carrapatos e também se o ambiente possui muitas moscas, em especial a mosca dos estábulos, muito semelhante à mosca doméstica, mas com um apetite voraz por sangue. Esta mosca é comum no Brasil e é comum ver cavalos alérgicos a ela. Caso seja esse o problema, o tratamento consiste no controle destes animais e na administração de antialérgicos, que devem ser receitados pelo veterinário.

Como citado acima ainda é possível que os animais desenvolvam dermatopatias secundárias a fatores psicológicos. Quando animais são muito inquietos e ficam muito tempo fechados,  acabam desenvolvendo manias indesejáveis, como a  de se morder ou ainda de se esfregar em algum local da cocheira fazendo, inclusive, perder os pelos e, se houver lesão na pele, pode ser a porta de entrada para alguns microorganismos.

As sarnas, apesar de pouco comuns nos equinos, são ainda vistas em alguns casos, originando muita coceira nos animais afetados e também queda de pelos. São oriundas da infestação por ácaros, geralmente Sarcoptes Scabiei, e o tratamento consiste na pulverização com venenos específicos e na administração sistêmica de medicamentos eficazes no controle do ácaro.

Cuidados

Não utilize nunca as mantas, selas e arreios de um animal que apresente estes sintomas em outro sem que sejam lavadas ou pulverizadas com solução de água e iodophor e colocadas ao sol.

Não menos importante e mais rotineiramente encontradas na clínica estão as infecções causadas por fungos. Geralmente são causadas por ambientes úmidos e quentes, em animais que ficam muito tempo suados ou molhados após o banho. Pode ser transmitida diretamente de animal para animal ou indiretamente através de mantas, raspadeiras e escovas.

Os fungos comprometem a integridade dos pelos, levando à queda excessiva e deixando áreas com pouco ou nenhum pelo. Produzem substâncias tóxicas e alérgicas que podem deixar o local inflamado, por vezes com descamação, levando à coceira. Podem estar acompanhados de infecções secundárias por bactérias também e o tratamento também inclui banhos por pulverização e medicamentos sistêmicos.

Aqui vimos apenas algumas das doenças que podem acometer a pele do cavalo, para a diferenciação e tratamento mais correto é imprescindível que o diagnóstico correto seja feito através de um veterinário que poderá fazer exames de citologia, raspados de pele e até biopsia quando há suspeita de doenças mais graves.

--------------------------------------------------------------------------------
Daniel Zacarias Zago é médico veterinário formado pela Unisa/SP e atua na área de clínica geral , nutrição e reprodução equina

 

 

Voltar